O presidente Jair Bolsonaro lançou hoje a Semana do Brasil, que acontece de 6 a 15 de setembro com descontos no comércio, hotéis e companhias aéreas. A data coincide com as comemorações do feriado da Independência, festejado em 7 de setembro.

Quais empresas vão participar? O governo não divulgou a lista completa, mas informou que 4.680 empresas e entidades aderiram à campanha. Entre os nomes certos estão os das lojas Havan, Riachuelo e Fast Shop.

Por que essa promoção agora em setembro? A justificativa é que setembro é um dos piores meses para o comércio brasileiro, já que não conta com nenhuma data comercial festiva, como o Dia das Mães, dos Namorados ou dos Pais.

O governo também quer reforçar o sentimento de nacionalismo? Tudo indica que sim. Tanto que o mote da campanha é “Vamos Valorizar o Que é Nosso”. Fábio Wajngarten, secretário Especial de Comunicação Social da Presidência da República (Secom), disse que a campanha valoriza o 7 de Setembro. “Vivemos tempos difíceis de ataque à soberania do país”, numa provável referência às críticas sobre a forma como o governo lidou com os incêndios na Amazônia. “É promoção para promover o Brasil, vencer o pessimismo e promover nossas cores, nossa soberania.”

E para os que criticaram a criação de uma nova data comercial tão em cima da hora? Wajngarten disse que os pessimistas de plantão devem saber que todas as datas levam anos para ser construídas, a exemplo da própria Black Friday.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).