BRASÍLIA (Reuters) -O presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta quarta-feira novamente seu compromisso de ter um ministro evangélico no Supremo Tribunal Federal (STF) e fez um elogio público a seu indicado, André Mendonça, que há três meses espera ter seu nome sabatinado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

“Se Eldorado tem um presidente, se Deus quiser, brevemente Miracatu terá um ministro do Supremo Tribunal Federal”, disse.

“À família de Miracatu, à família de André Mendonça, meus cumprimentos para este homem extremamente competente, capaz e inteligente, e dentro do meu compromisso de ter um evangélico para o Supremo Tribunal Federal”,, emendou ele, durante cerimônia de entrega de títulos de terra a famílias assentadas em São Paulo.

O presidente da CCJ e ex-presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), tem resistido a pautar a indicação de André Mendonça para a vaga do STF aberta com a aposentadoria do ministro Marco Aurélio Mello.

MISSÃO

No discurso, Bolsonaro disse que vai cumprir a sua missão na Presidência até o último dia do mandato e, sem citar a que estava se referindo diretamente, criticou tentativa de tirá-lo do cargo.

“Não será uma ação mentirosa, sem fundamentação, que vai me tirar de lá”, afirmou.

Bolsonaro é alvo de investigações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e do STF.

O presidente voltou a culpar o que chama de política do “fique em casa” pela inflação no país.

(Reportagem de Ricardo BritoEdição de Alexandre Caverni)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).