Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) – No dia em que a CPI da Covid vota o relatório que pedirá seu indiciamento, o presidente Jair Bolsonaro dedicou parte da sua manhã a uma visita ao Projeto Acolhida, que recebe venezuelanos em Boa Vista, onde, em uma live nas redes sociais, o tom foi de campanha eleitoral.

Bolsonaro prometia há várias semanas que iria a Roraima conversar com venezuelanos que imigraram para o Brasil fugindo das dificuldades no país vizinho. A ideia inicial, segundo ele mesmo, eram “várias horas” de live feitas em Pacaraima, na fronteira com a Venezuela.

Por questões de logística, a visita se concentrou em Boa Vista. A live durou cerca de 25 minutos e foi transmitida apenas pelo Facebook, já que o canal do presidente no Youtube está suspenso por uma decisão devido a alegações falsas feitas por ele na última live. O vídeo, no entanto, foi colocado no canal do filho Carlos Bolsonaro, burlando as regras da rede social.

Durante o tempo em que esteve com os venezuelanos, o presidente conversou com imigrantes, mostrou as crianças e fez falas relacionando a questão venezuelana com a esquerda brasileira, em tom eleitoral.

“Não queremos isso para nosso país, as escolhas erradas levam a isso”, disse, depois de conversar com uma das mulheres venezuelanas abrigadas em Boa Vista. “É aquele pessoal do Foro de São Paulo, sempre enganando o povo, induzindo as pessoas a ir para esquerda, se associar ao socialismo.”

De acordo com a agenda pública de Bolsonaro, ele faria uma visita de uma hora à operação Acolhida. No final da tarde, participa, ainda em Roraima, de um culto em homenagem aos 106 anos da igreja Assembleia de Deus.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).