O presidente Jair Bolsonaro voltou a admitir a possibilidade de tentar a reeleição, mas ponderou que a decisão dependerá da reação da economia às medidas do seu governo. “Se Deus quiser, vamos entregar um Brasil melhor em 2023 ou em 2027”, disse Bolsonaro nesta quinta-feira, 11, a jornalistas. Ele falou com a imprensa após a posse do novo diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem.

O presidente Jair Bolsonaro na solenidade de posse do novo diretor geral da Associação Brasileira de Inteligência (Abin)
Crédito: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo

No último final de semana, Bolsonaro afirmou que entregará um país “muito melhor” para quem lhe suceder no comando do Palácio do Planalto em 2026. O mandato atual termina em 2022. “Pegamos um país quebrado moral, ética e economicamente. Mas, se Deus quiser, nós conseguiremos entregá-lo muito melhor para quem nos suceder em 2026”, disse na ocasião.

Hoje, ao ser questionado sobre o assunto, ele afirmou que “se o Brasil entrar nos trilhos, lá na frente a gente decide”. “Eu nunca trabalhei pensando em reeleição como parlamentar. Se pensar em reeleição, a gente diz sim pra todo mundo. Se o Brasil entrar nos trilhos, lá na frente a gente decide. Tenho apoio enorme de muitos setores da sociedade”, declarou.

Sobre críticas que fez contra a possibilidade reeleição no passado, Bolsonaro afirmou que “dizia na campanha que com uma boa reforma política colocaria na mesa a não-reeleição”, mas afirmou hoje que os governadores não aceitariam a iniciativa. “Os governadores aceitariam a não-reeleição? Você acha que aceitariam? Todo mundo tem que estar no mesmo barco.”

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).