Por Eduardo Simões

(Reuters) – O presidente Jair Bolsonaro autorizou a ampliação da utilização das Forças Armadas no combate a crimes ambientais no Amazonas, aceitando requerimento neste sentido feito pelo governador do Estado, Wilson Lima (PSC), informou a Presidência da República em nota na noite de quinta-feira.

Bolsonaro já havia editado decreto, no dia 28 de junho, determinando uma operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) no combate a crimes ambientais na Amazônia, focada em municípios em situação mais problemática, até o final de agosto.

O decreto, de acordo com a Presidência, permitia a atuação das Forças Armadas apenas em áreas federais, e a ampliação da atuação dependia de um requerimento do governador do Estado, que foi feito e aceito por Bolsonaro.

De acordo com dados preliminares do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o desmatamento da Amazônia cresceu pelo quarto mês seguido em junho em meio a preocupações de que a destruição da floresta e a falta de chuvas alimentem incêndios na região durante a temporada de seca que se aproxima.

O desmatamento tem crescido desde que Bolsonaro assumiu o poder em 2019, gerando críticas internacionais de governos estrangeiros, de ambientalistas e da população.

Bolsonaro incentiva o garimpo e a agricultura em áreas protegidas da Amazônia e tem enfraquecido agências ambientais. Essas ações, segundo ambientalistas e cientistas, resultaram diretamente no aumento da destruição da floresta.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).