As bolsas asiáticas fecharam em baixa generalizada nesta sexta-feira (30), em uma semana marcada por temores com o avanço da Covid-19 no mundo e ansiedade às vésperas da eleição presidencial nos Estados Unidos. O índice acionário japonês Nikkei caiu 1,52% em Tóquio, a 22.977,13 pontos, enquanto o Hang Seng recuou 1,95% em Hong Kong, a 24.107,42 pontos, o sul-coreano Kospi sofreu queda de 2,56% em Seul, a 2.267,15 pontos, e o Taiex apresentou baixa de 0,92% em Taiwan, a 12.546,34 pontos.

Na China continental, os mercados também ficaram no vermelho, interrompendo uma sequência de três pregões de ganhos. O Xangai Composto caiu 1,47% – registrando sua maior perda diária em mais de um mês – a 3.224,53 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 2,29%, a 2.198,07 pontos. Ontem, líderes chineses aprovaram um novo plano econômico para o período de 2021 a 2025, após concluírem reunião de quatro dias.

A propagação da Covid-19, principalmente na Europa e nos Estados Unidos, desencorajou investidores da região asiática a comprar ações nesta semana. Outro fator que vem comprometendo o apetite por risco é a eleição presidencial americana, que está marcada para terça-feira (3).

Ações de fornecedores de componentes da Apple foram destaque negativo na Ásia hoje, com quedas de cerca de 2% a 3% nas bolsas japonesa, sul-coreana e de Hong Kong. O último balanço trimestral da Apple, divulgado no fim da tarde de ontem, não agradou e o papel do fabricante do iPhone sofreu um tombo de 4,2% nos negócios do after hours em Nova York.

Na Oceania, a bolsa australiana seguiu o mau humor da Ásia, e o S&P/ASX 200 caiu 0,55% em Sydney, a 5.927,60 pontos.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).