As bolsas asiáticas fecharam em alta generalizada nesta terça-feira, buscando se recuperar de perdas recentes apesar de contínuas tensões entre os Estados Unidos e China e de uma revisão para baixo do Produto Interno Bruto (PIB) japonês.

Nos mercados chineses, o índice Xangai Composto subiu 0,72%, a 3.316,42 pontos, interrompendo uma sequência de quatro pregões negativos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,38%, a 2.248,20 pontos. Ações do setor industrial lideraram os ganhos, mas papéis financeiros também contribuíram para a recuperação.

Em outras partes da Ásia, o japonês Nikkei se valorizou 0,80% em Tóquio, a 23.274,13 pontos, enquanto o Hang Seng teve modesta alta de 0,14% em Hong Kong, a 24.624,34 pontos, o sul-coreano Kospi avançou 0,74% em Seul, a 2.401,91 pontos, mais uma vez sustentado pela blue chip Samsung Electronics (+3,89%), e o Taiex registrou ganho de 0,49% em Taiwan, a 12.663,56 pontos.

O apetite por risco na região asiática se sustentou apesar de o presidente dos EUA, Donald Trump, ter mantido nesta segunda a retórica contrária à China, em discurso para celebrar o feriado do Dia do Trabalho, e de relatos de que Washington planeja impor restrições de exportação a mais empresas chinesas.

Também ficou em segundo plano a revisão do PIB do Japão, que no segundo trimestre sofreu contração anualizada de 28,1% em meio à pandemia do novo coronavírus, e não de 27,8%, como se estimou inicialmente.

Na Oceania, a bolsa australiana seguiu o tom positivo da Ásia, e o S&P/ASX 200 subiu 1,06% em Sydney, a 6.007,8 pontos, após dados favoráveis de confiança das empresas locais.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.