O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) levantou R$ 8,1 bilhões com a venda de um bloco de ações da mineradora Vale a R$ 60,26 cada nesta terça-feira (4), disse o presidente da instituição em uma rede social. Segundo Gustavo Montezano, a transação representa o maior “block trade” da história da América Latina.

Ele ressaltou que o preço de venda ficou estável ante o valor de fechamento do dia anterior e 4% abaixo da máxima histórica. A ação da Vale, que operou parte do dia em baixa, subia 0,28% às 16h40, enquanto o Ibovespa recuava 1,8%.

“Mais importante do que as cifras desse marco histórico é ter o BNDES se reposicionando e voltando suas energias, conhecimento e recursos para o desenvolvimento social e ambiental do nosso país”, disse Montezano em publicação no LinkedIn.

“O que muda para nossas crianças se o BNDES perde ou ganha 10% especulando na bolsa de valores? O que isso melhora nosso meio ambiente?”, acrescentou o executivo.

As cifras confirmam o que foi noticiado pela Reuters mais cedo, citando uma fonte.

Essa fonte disse, sob condição de anonimato, que a participação do BNDESPar –braço de participações do banco– na Vale deve cair de 6,3% para cerca de 3,7%.

O movimento do banco ocorre antes do encerramento de um acordo entre grandes acionistas da mineradora, entre eles os fundos Previ e Petros, como parte de um processo para deixar a empresa com capital pulverizado, melhorando a governança corporativa. Esse pacto termina em novembro.

Em 30 de junho, o BNDESPar detinha cerca de 206 milhões de ações da Vale não vinculadas ao acordo de acionistas, e outras mais de 117 milhões vinculadas ao acordo.

“A função do BNDES é, sim, gerar muito lucro para nossa sociedade: lucro ambiental! Lucro social! O lucro sócio-ambiental muda uma nação. É por isso que esse banco foi fundado e é para isso que estamos aqui!”, concluiu Montezano.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).