O bitcoin superou a marca de US$ 18 mil nesta quarta-feira (18), atingindo seu maior valor desde dezembro de 2017 e ampliando seu rali em 2020, diante de expectativas de sua aceitação popular e de sua característica percebida de que é uma proteção contra a inflação.

A criptomoeda saltava 3,1%, a 18.221 dólares. Este ano, o bitcoin disparou cerca de 160% este ano e acumulou valorização de mais de 15% apenas nos últimos três dias.

O bitcoin está agora perto de sua máxima histórica de pouco menos de 20.000 dólares, que atingiu no pico de sua bolha de 2017.

“Não está fora de questão que a criptomoeda atinja sua máxima recorde de 20.000 dólares antes do Natal”, disse Simon Peters, analista da plataforma de investimentos eToro.

“A indústria de criptoativos se consolidou, amadureceu e está vendo uma tração real com os investidores institucionais. Os investidores estão usando o bitcoin como uma proteção inflacionária para combater a perspectiva de estímulo governamental contínuo.”

Leia também

Uma montanha russa chamada bitcoin: alta de mais de 100% vai se sustentar?

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).