Por Jeff Mason e Steve Holland

WASHINGTON (Reuters) – O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, previu nesta sexta-feira um “longo caminho a percorrer” até a recuperação econômica nos EUA da crise provocada pela pandemia e pediu a Washington que faça mais para ajudar o povo norte-americano após um relatório decepcionante de empregos de abril.

O crescimento do emprego nos EUA desacelerou inesperadamente em abril, provavelmente contido pela escassez de trabalhadores e matérias-primas.

Biden e sua equipe disseram que seu pacote de alívio à pandemia de 1,9 trilhão de dólares, a primeira grande conquista legislativa do democrata estando na presidência, está ajudando a economia a se recuperar de seu tombo causado pela pandemia.

“O relatório de hoje apenas ressalta, em minha opinião, como as ações que estamos tomando são vitais”, afirmou Biden em declarações na Casa Branca. “Nossos esforços estão começando a funcionar. Mas a subida é íngreme e ainda temos um longo caminho pela frente.”

A Casa Branca está pressionando por mais trilhões de dólares em gastos com infraestrutura, educação e outras prioridades. Os republicanos, no entanto, se opõem ao alto preço das iniciativas de Biden, enquanto críticos levantaram preocupações sobre a inflação e um desincentivo –graças a generosos benefícios de auxílio-desemprego– ao retorno das pessoas ao mercado de trabalho.

A Casa Branca rejeitou essa crítica nesta sexta-feira. Biden disse não ter visto evidências de que o aumento dos benefícios ao desemprego estava prejudicando os números do emprego.

Jared Bernstein, membro do Conselho de Assessores Econômicos do presidente, disse à Reuters que o pacote de alívio e estímulo à Covid-19 do presidente dos EUA, conhecido como Plano de Resgate Americano, ajudou a gerar uma média de mais de meio milhão de empregos por mês nos últimos três meses, a despeito de abril.

“Esses são números grandes, e as impressões digitais do Plano de Resgate Americano estão em todas essas inclusões”, disse ele.

Bernstein disse que nenhuma correção de trajetória foi necessária por parte da Casa Branca, um tema ecoado por Nancy Pelosi, a presidente democrata da Câmara dos Deputados, que pressionou pela aprovação do próximo impulso legislativo de Biden.

“O decepcionante relatório de empregos de abril destaca a necessidade urgente de aprovar os planos de empregos e famílias norte-americanos do presidente Biden”, disse ela em um comunicado. “Precisamos tomar medidas ousadas para reconstruir melhor desta crise, investindo em nossa nação, nossos trabalhadores e em nossas famílias.”

Os republicanos viram isso de forma diferente.

“Por que alguém está surpreso que os relatórios de empregos ficaram aquém das expectativas?”, disse o senador republicano Marco Rubio, da Flórida, no Twitter. “Eu disse a você semanas atrás que na #Flórida eu ouço de #pequenas empresas todos os dias que eles não conseguem contratar pessoas porque o governo está impedindo que voltem ao trabalho.”

A proporção de norte-americanos que estão trabalhando ou procurando emprego aumentou no mês passado, e o número de pessoas que disseram não estar procurando emprego por causa da Covid-19 caiu em 900 mil em abril, disse Bernstein, resistindo às críticas de alguns empregadores que os benefícios impediram algumas pessoas de voltar ao trabalho.

“Até agora, não vemos uma correlação entre os benefícios do auxílio-desemprego e a falta de emprego”, disse ele.

“O que vemos são muitas pessoas que ainda estão hesitantes em voltar ao trabalho por causa de questões de segurança, cuidados e escolaridade, e continuaremos a observar isso de perto.”

(Reportagem adicional de Jonnelle Marte e Merdie Nzanga)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).