Por Nandita Bose

WASHINGTON (Reuters) – O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, defendeu-se nesta segunda-feira contra críticas de que a expansão dos benefícios a desempregados prevista no projeto de lei de alívio à Covid aprovado em março está desestimulando norte-americanos a aceitar novas ofertas de trabalho.

Biden disse que o governo vai lembrar aos Estados norte-americanos esta semana que qualquer cidadão desempregado que receba uma oferta de posto de trabalho comparável deve aceitá-la ou correr o risco de perder o auxílio-desemprego.

Ele também está instruindo o Departamento do Trabalho dos EUA a trabalhar com os Estados para restabelecer os requisitos de que aqueles que recebem auxílio-desemprego devem demonstrar que estão procurando trabalho ativamente.

“Se você está recebendo auxílio-desemprego e lhe é oferecido emprego adequado, não pode recusar esse trabalho e continuar apenas recebendo o auxílio-desemprego”, disse Biden.

Parlamentares republicanos atribuíram o fraco relatório de empregos da semana passada à decisão do presidente democrata de oferecer benefícios a desempregados ampliados até agosto. Alguns governadores republicanos descartaram os benefícios adicionais, direcionando recursos extras a outras iniciativas.

(Por Nandita Bose e Jarrett Renshaw)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).