BRASÍLIA (Reuters) – O Banco Central elevou a projeção do crescimento do crédito no país a 12,6% este ano, ante projeção de 11,1% feita em junho, conforme dados do seu Relatório Trimestral de Inflação divulgado nesta quinta-feira.

Agora, a expectativa é que o crédito às famílias suba 16,2% em 2021, contra expectativa anterior de 13,5%. Para as empresas, a alta foi mantida em 8,0%.

Para o estoque de crédito livre, em que as taxas são pactuadas livremente entre bancos e tomadores, o BC projeta agora uma expansão de 15,7% (+13,5% antes) neste ano. Para o crédito direcionado, que atende a parâmetros estabelecidos pelo governo, a perspectiva é de alta de 8,3% (+7,7% antes).

Nas contas do BC, a expansão do estoque de crédito em 2022 irá desacelerar a 8,5%. Nesse caso, a autoridade monetária vê alta de 11,1% no crédito às pessoas físicas e de 5% no crédito às empresas. No próximo ano, o estoque de crédito com recursos livres deve ter expansão de 11,1%, ao passo que o saldo com recursos direcionados deve subir 4,8%, completou o BC.

(Por Marcela Ayres)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).