Em decisão unânime, 0 Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central cortou pela quinta vez consecutiva a taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic, em 0,25 ponto percentual.  Com isso, a taxa básica caiu de 4,5% para 4,25% ao ano.

A decisão atendeu à expectativa da maior parte dos analistas de mercado, para os quais a perspectiva de inflação baixa permitia um novo corte nos juros, a fim de incentivar o ainda lento ritmo da retomada da economia brasileira. De outro lado, houve quem julgasse ser necessário manter os juros básicos no patamar atual para medir os reflexos das últimas decisões e evitar a pressão extra sobre o câmbio.

Fim do ciclo de cortes. Em comunicado, o BC indicou que atendeu parcialmente às duas posições. O comitê votou de forma unânime para reduzir a taxa mais uma vez, mas indicou a interrupção do ciclo de cortes na Selic. Parte do mercado esperava um novo corte, para 4,0%, na próxima reunião.

“Considerando os efeitos defasados do ciclo de afrouxamento iniciado em julho de 2019, o Comitê vê como adequada a interrupção do processo de flexibilização monetária”, diz o comunicado.

Essa posição intermediária ficou evidenciada no balanço de riscos feito na declaração. Por um lado, “o nível de ociosidade elevado” justifica o corte, por outro permanecem no horizonte possíveis riscos para a inflação decorrentes de um afrouxamento monetário excessivo.

O Copom cita, entre esses riscos, em “maior potência da política monetária” decorrente das transformações do mercado de crédito e de capitais, uma possível piora no cenário global e eventual frustração da agenda de reformas.

O que a Selic afeta na minha vida? A taxa básica de juros é a referência para o custo do dinheiro. Quando a taxa está mais baixa, a tendência é que serviços financeiros como empréstimos e financiamentos fiquem mais baratos, o que é um fator de estímulo para a economia.

Como contraponto, a Selic também é o principal instrumento do Banco Central para frear uma alta além da conta na inflação, que costuma ser o fator mais importante da entidade na hora de decidir sobre mudanças na taxa.

No que diz respeito aos investimentos, a Selic referencia o CDI (Certificado de Depósito Interbancário), que serve de base para o retorno das aplicações de renda fixa. Um corte da Selic reduz o CDI, o que também comprime o rendimento dos investimentos. Ou seja: menos dinheiro no seu bolso.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).