Por Leika Kihara e Tetsushi Kajimoto

TÓQUIO (Reuters) – O banco central do Japão deixou inalterada sua política monetária nesta quinta-feira e melhorou a projeção econômica para o próximo ano fiscal, mas alertou para os crescentes riscos às perspectivas uma vez que as medidas de emergência contra o coronavírus ameaçam a frágil recuperação.

O presidente do Banco do Japão, Haruhiko Kuroda, disse que a diretoria também discutiu a revisão de suas ferramentas de política monetária a ser feita em março, embora tenha dado poucas indicações sobre qual será o resultado.

“Nossa revisão não irá focar apenas em lidar com os efeitos colaterais de nossa política. Precisamos torná-la mais eficaz e ágil”, disse Kuroda em entrevista á imprensa.

Como esperado, o banco central manteve suas metas sob o controle da curva de rendimentos em -0,1% para os juros de curto prazo e em torno de 0% para os rendimentos dos títulos de 10 anos.

Em novas projeções trimestrais, o Banco do Japão melhorou a previsão de crescimento para o próximo ano fiscal a uma expansão de 3,9% ante 3,6% há três meses, com base nas esperanças de que o enorme pacote de gastos do governo vai aliviar o impacto da pandemia.

Mas ofereceu uma visão mais desanimadora sobre o consumo, alertando que os gastos com serviços continuarão sob “forte pressão de baixa” devido ao novo estado de emergência adotado este mês.

“A economia do Japão está acelerando como tendência”, disse o banco central no relatório.

Embora Kuroda tenha reiterado a prontidão do banco para aumentar o estímulo, ele mostrou esperanças de que as exportações robustas e a distribuição esperada das vacinas melhorem as perspectivas para a recuperação.

“Não acho que o risco de o Japão cair de volta em deflação seja alto”, disse ele, sinalizando que o banco central ofereceu estímulo suficiente por enquanto para aliviar o impacto da Covid-19.

Muitos analistas esperavam que o Banco do Japão optasse pela manutenção da política monetária antes da revisão em março, que busca tornar suas ferramentas sustentáveis.

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5047 2984)) REUTERS CMO

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).