“Estamos no início de um esforço para construir uma empresa mais forte e eficiente para nossos clientes, funcionários, comunidades e acionistas”, disse Ellis em um comunicado. “Como parte desse trabalho, teremos impactos, incluindo redução de empregos em quase todas as nossas funções e linhas de negócios, incluindo banco comercial, onde iniciamos deslocamentos.”
A Wells Fargo, maior empregadora do setor bancário dos Estados Unidos, foi a primeira grande credora do país a retomar os cortes de empregos este ano, depois que várias empresas importantes disseram que tentariam oferecer estabilidade aos trabalhadores durante a pandemia de Covid-19.
Na esteira, outras empresas do setor, como Citigroup Inc., Goldman Sachs Group Inc. e JPMorgan Chase & Co., desde também fizeram reduções direcionadas. Já o CEO do Bank of America Corp., Brian Moynihan, afirmou na semana passada que manterá a promessa de não demissões do banco em 2020.

Mais de 30 bancos ao redor do mundo planejam corte de pessoal neste ano, totalizando uma redução de 68.000 vagas, de acordo com números compilados pela Bloomberg. A maior parte vem do banco espanhol HSBC, que afirmou que cortará 35.000 empregos até fevereiro, a fim de economizar US $ 4,5 bilhões em custos em unidades de baixo desempenho nos EUA e na Europa.

O medo de que mais cortes de empregos possam acontecer aumentou nesta semana, após o presidente Donald Trump atrapalhou as negociações sobre um projeto de lei de estímulo econômico.

A Wells Fargo, em especial, está sob forte pressão para gastar menos, depois de cortar seus dividendos e reportar prejuízo trimestral no início deste ano. O CEO Charlie Scharf, que assumiu em 2019, lamentou repetidamente as altas despesas da empresa e se comprometeu a cortar pelo menos US $ 10 bilhões em custos anuais. A Bloomberg informou em julho que os cortes começariam este ano e poderiam chegar a dezenas de milhares nos anos futuros.

Wells Fargo está tomando uma série de ações para alinhar as despesas com os colegas e ainda não definiu metas para a redução total de empregos, disse Ellis. O banco espera “reduzir o tamanho de nossa força de trabalho por meio de uma combinação de desgaste, eliminação de vagas em aberto e deslocamentos de empregos”, disse ela.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).