Por Marcelo Rochabrun

SÃO PAULO (Reuters) – A Azul teve prejuízo líquido de 317,4 milhões de reais no quarto trimestre, a melhor performance da companhia aérea desde o início da pandemia no país, segundo dados divulgados mais cedo nesta quinta-feira.

Nos três últimos meses do ano passado, a Azul operou com capacidade no Brasil equivalente a 91% do nível anterior à epidemia de Covid-19.

Mas a empresa pode enfrentar dificuldades para manter este nível neste primeiro trimestre, por causa das medidas de isolamento social que estão sendo decretadas por uma série de governos municipais e estaduais no país.

Em teleconferência com analistas, executivos da Azul afirmaram que esperam queda na demanda de passageiros em março e abril, mas uma recuperação na sequência.

Apesar dos melhores resultados no quarto trimestre, a pandemia seguiu atingindo os resultados. A receita da Azul dobrou na comparação com o terceiro trimestre, para 1,8 bilhão de reais, mas segue praticamente metade do que era antes da chegada do coronavírus ao país.

A liquidez da companhia dobrou para 3 bilhões de reais no período, mas isso deveu-se mais à emissão de novas dívidas.

Em 2020, a Azul teve prejuízo de 10,8 bilhões de reais.

Às 12h28, as ações da Azul, porém, exibiam alta de 1,9%, em linha com o desempenho do Ibovespa. A rival Gol, que divulga resultado do quarto trimestre em 18 de março, mostrava recuo de 0,3%.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).