O Auxílio Brasil começa a ser pago em novembro deste ano e o governo quer garantir que o benefício mínimo seja de R$ 400 para as famílias de baixa renda, segundo ministro da Cidadania, João Roma. O valor do benefício vai ser determinado de acordo com a composição familiar, mas o ministro ainda não deu detalhes sobre as regras.

Para garantir o mínimo de R$ 400, Roma disse ainda que o ministério está formulando um benefício transitório, com duração até dezembro do ano que vem.

“Estamos dando um reajuste no programa de quase 20% no programa permanente, que seguirá de maneira linear. O Auxílio Brasil receberá o ajuste de 20%. O programa permanente tem valores que oscilam desde valores abaixo de R$ 100 e superiores a R$ 500”, afirma Roma.

O rompimento do teto de gastos para custear o Auxílio Brasil é um dos temores do mercado. Hoje, Roma afirmou que o governo está atuando para que isso não aconteça.

“Estamos buscando dentro do governo todas as possibilidades para que o atendimento dos brasileiro sigam de mãos dadas com a responsabilidade fiscal”, afirma Roma. O ministro disse ainda que o Auxílio Brasil será um programa de caráter permanente e que não é “eleitoreiro”, mas não deu detalhes sobre os recursos que vão custear o programa.

O ministro afirmou que, hoje, cerca de 14,7 milhões de famílias são assistidas pelo Bolsa Família e que, com o novo programa, o número deve chegar a 16,9 milhões.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).