O ministro da Economia, Paulo Guedes, avaliou que o resultado recorde da arrecadação federal de abril é uma “surpresa extraordinariamente favorável”. “A arrecadação é uma proxy para a recuperação das empresas. A economia brasileira parece que está acelerando. Temos visto revisões das projeções de crescimento da economia para cima. A arrecadação de abril confirma quadro de melhoria geral da atividade econômica no País”, afirmou.

A arrecadação de impostos e contribuições federais somou R$ 156,822 bilhões em abril, recorde para o mês. O resultado representa um aumento real (descontada a inflação) de 45,22% na comparação com o mesmo mês de 2020, que foi bastante afetado pela pandemia de covid-19 e pelo diferimento na cobrança de alguns tributos.

“Acreditávamos que o Brasil fosse surpreender no ritmo de crescimento neste início de ano. Estamos vendo isso na geração de empregos, com quase 1 milhão de vagas nos primeiros três meses deste ano. Da mesma forma, índices de atividade do BC têm saído muito fortes”, acrescentou o ministro.

Guedes lembrou que, no acumulado do ano até abril, a arrecadação federal somou R$ 603,722 bilhões, também recorde para o primeiro quadrimestre. O montante ainda representa um avanço real de 13,62% na comparação com os primeiros quatro meses do ano passado. “O aumento de arrecadação ocorre em todas as dimensões”, enfatizou.

O ministro repetiu que a equipe econômica em nenhum momento pensou em aumentar impostos em meio a uma recessão. “Não era razoável nós pensarmos em aumentar impostos por conta da déficit fiscal. Seria um equívoco, um erro sério de política econômica. Com a reaceleração da economia, receitas estão vindo bastante fortes”, completou.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).