A Argentina está em “default virtual” e o pagamento de sua dívida não poderá se sustentar “se o país não cresce”, afirmou nesta terça-feira o presidente Alberto Fernández em discurso de posse de sua gestão no Congresso.

O presidente peronista de centro-esquerda disse que impulsionará o mercado doméstico para reverter “o atraso social e produtivo” da Argentina, que atravessa uma severa crise econômica.

Fernández disse também que pretende desenvolver o Mercosul e que buscará uma “agenda ambiciosa” com o Brasil, que vá além das diferenças entre os mandatários dos dois países.

O presidente Jair Bolsonaro não compareceu à posse de Fernández, com quem teve embates importantes nos últimos meses.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.