BERLIM (Reuters) – A Alemanha terá de aumentar os gastos neste ano para lidar com o impacto da pandemia do coronavírus na maior economia da Europa, disse o ministro das Finanças do país, Olaf Scholz, à Bloomberg TV nesta quinta-feira.

“Faremos atividades extras, sim, isso é verdade, e somos capazes de fazê-lo”, disse Scholz, que está concorrendo ao posto de chanceler nas eleições federais de setembro do Partido Social Democrata, segundo a Bloomberg.

Na segunda-feira, Scholz sugeriu que a Alemanha provavelmente suspenderia de novo os limites constitucionais estabelecidos para novos empréstimos no próximo ano, visando financiar mais medidas de resgate e estímulo e, assim, apoiar a recuperação. Ele vai apresentar o projeto de Orçamento para o próximo ano em 24 de março.

O Parlamento suspendeu as regras sobre novos empréstimos para 2020 e 2021 para permitir novos financiamentos combinados de até 310 bilhões de euros.

(Por Madeline Chambers)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447723))

REUTERS LB JCG

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).