SÃO PAULO (Reuters) – A safra de soja do Brasil 2020/21 deverá somar um recorde de 133 milhões de toneladas, informou nesta segunda-feira a AgRural, que revisou sua previsão ante 131,7 milhões de toneladas vistas em janeiro.

A projeção, divulgada aos clientes da empresa anteriormente, está próxima da média apontada na semana passada por uma pesquisa da Reuters com 13 analistas.

A consultoria também apontou que segue o atraso na colheita, apesar de o ritmo ter melhorado na semana passada.

O levantamento mostra que, até quinta-feira, 25% da área cultivada com a oleaginosa no Brasil estava colhida, contra 15% uma semana antes e 40% no mesmo período do ano passado.

“Mesmo com o avanço recente, os 25% colhidos ainda representam o índice mais baixo para esta época do ano desde a safra 2010/11”, disse.

“Não fosse o excesso de chuva em fevereiro, que ampliou o atraso causado pelo plantio tardio, a colheita poderia ter chegado a pelo menos 33% da área, de acordo com cálculos da AgRural.” 

Com o atraso da soja, a segunda safra de 2021 de milho estava 39% plantada até quinta-feira, com bom avanço sobre os 24% de uma semana antes, mas ainda com atraso significativo em relação aos 67% do mesmo período do ano passado, afirmou a AgRural.

(Por Roberto Samora)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).