Por Leah Douglas

(Reuters) – Agricultores pediram ao Departamento de Justiça dos EUA para investigar se os recentes picos nos preços dos fertilizantes são atribuíveis à manipulação de mercado por empresas do setor, de acordo com uma carta enviada nesta quarta-feira pela Family Farm Action Alliance.

O grupo, que tem mais de 6 mil agricultores e membros rurais, alega que as empresas de fertilizantes estão estabelecendo preços “não com base na oferta e demanda básicas, mas sim no preço que o agricultor recebe por suas safras de commodities”.

Os preços globais dos fertilizantes atingiram níveis recordes este ano, em parte devido ao aumento dos preços do gás natural usado para produzí-los e às fortes tempestades nos Estados Unidos que interromperam a fabricação.

Mas o grupo agrícola alega que as empresas de fertilizantes também podem estar aumentando os preços em resposta aos altos preços das commodities.

Desde os anos 80, a consolidação na indústria de fertilizantes dos EUA encolheu o setor de 46 empresas para 13. Duas companhias, Nutrien e Mosaic, controlam 93% do mercado de potássio da América do Norte, de acordo com um relatório de 2020 feito pela Federal Trade Commission. Entre as demais empresas importantes estão a Yara-USA e a CF Industries.

“Há um potencial na forma como esta indústria está estruturada para realmente explorar os agricultores”, disse o Dr. Philip Howard, professor associado da Michigan State University e especialista em consolidação da indústria de alimentos.

Ben Pratt, vice-presidente sênior de relações públicas da Mosaic, negou que as empresas de fertilizantes definam os preços e disse que o aumento atual se deve às “exportações reduzidas de certas nações, incluindo a China, e à forte demanda global, entre muitos fatores”.

As outras três principais empresas de fertilizantes não responderam imediatamente aos pedidos de comentários.

No Brasil, a Confederação da Agricultura e Pecuária (CNA) tem discutido com o governo federal a investigação de altas consideradas abusivas nos preços de insumos agrícolas no país, conforme declaração de um representante da entidade dada nesta quarta-feira.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).