SÃO PAULO (Reuters) – A indústria brasileira de carne bovina abateu 7,25 milhões de cabeças de gado no quarto trimestre, queda de 10,3% em comparação ao mesmo período de 2019 e uma redução de 5,8% em relação ao trimestre anterior, com o país lidando com uma menor oferta de animais terminados em meio à forte demanda para exportação.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção somou 1,96 milhão de toneladas de carcaças bovinas, uma queda de 6,5% ante o quarto trimestre de 2019 e diminuição de 4,6% em relação ao período anterior.

Enquanto isso, os preços têm renovado recordes no mercado brasileiro, operando recentemente acima de 300 reais a arroba na média do Estado de São Paulo, com as cotações sendo influenciadas também pela forte demanda para exportação, especialmente da China..

No caso do abate de suínos, o país registrou 12,10 milhões de cabeças no quarto trimestre, representando um aumento de 1,6% no comparativo anual e queda de 4,7% em relação ao terceiro trimestre.

O peso acumulado das carcaças suínas registrou 1,08 milhão de toneladas, aumento de 1,7% em relação ao quarto trimestre de 2019 e queda de 7,8% em comparação com o trimestre anterior.

O abate de frangos, por sua vez, somou 1,55 bilhão de cabeças no quarto trimestre, aumento de 5,5% em relação ao mesmo período de 2019 e acréscimo de 2,5% ante o terceiro trimestre.

O peso acumulado das carcaças foi de 3,57 milhões de toneladas, alta de 5,2% em relação ao quarto trimestre de 2019 e de 2,5% frente ao trimestre imediatamente anterior.

Assim como a carne bovina, o indústria de aves e suínos também foi beneficiada por forte demanda externa.

(Por Roberto Samora)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).