A United Airlines anunciou nesta domingo que vai rever a cobrança adicional de uma taxa de US$ 200 para remarcação de passagens em viagens dentro dos Estados Unidos. Segundo a companhia, as taxas foram eliminadas para clientes com passagens econômicas padrão ou premium para destinos domésticos. A decisão deve pressionar a American Airlines e a Delta Airlines a reduzirem as suas cobranças. No caso da Delta, as taxas já foram dispensadas para viagens afetadas pela pandemia até o final do ano. A American não comentou o assunto.

De acordo com o anúncio, a United também vai estender a isenção de taxas de alteração, inclusive para viagens internacionais, até 31 de dezembro. Além disso, a partir de janeiro, os clientes poderão trocar gratuitamente os voos, desde que sejam no mesmo dia do reservado.

O CEO da United, Scott Kirby, reconheceu que as companhias aéreas que enfrentam tempos difíceis muitas vezes “fizeram decisões difíceis para sobreviver, às vezes às custas do cliente.” Kirby disse que a United está procurando atender melhor os clientes desta vez.

As mudanças ocorrem em um momento em que as companhias áreas tentam atrair clientes, embora a pandemia ainda não tenha cessado. Desde abril, as viagens aéreas nos Estados Unidos se recuperaram de forma modesta, mas o tráfego de passageiros segue caindo cerca de 70% na comparação com o ano anterior. As quatro maiores empresas do setor nos EUA perderam US$ 10 bilhões entre abril e junho.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).