A década de 2010 foi marcada por tornar as viagens mais fáceis. A chegada de mais serviços de hospedagem, a disseminação dos roteiros alternativos e o crescimento rápido das companhias aéreas de baixo custo encurtaram distâncias.

Mas ainda que o ato de viajar tenha quase se tornado um esporte competitivo nos últimos 10 anos, essa tendência está esfriando. Tentar visitar todos os países do mundo antes dos 40 anos – ou até visitar meia dúzia de cidades em uma viagem de apenas uma semana – é exaustivo. Ao invés de ajudar, os muitos sites de hospedagem e fontes de inspiração só confundem os viajantes, que se esforçam para descobrir como aproveitar cada minuto de seu precioso tempo de férias.

Foi aí que surgiu o “slow travel” (ou viagem sem pressa), que permite que você conheça melhor um lugar simplesmente por ficar lá por mais tempo. O novo conceito não só permite que o viajante de fato descanse, como é mais satisfatório e ambientalmente sustentável. E é o “slow travel” que está moldando as tendências que vão mudar a forma com que viajaremos em 2020 e nos anos seguintes. Veja algumas dessas tendências:

Aproveite a viagem de “zero impacto”

Várias companhias, incluindo a EasyJet, estão criando políticas para reduzir a emissão de carbono em sua frota de aviões. As agências de turismo também estão entrando em cena, para garantir que essa mesma redução aconteça nas viagens terrestres. Aliás, a exigência sustentável está se tornando um chamariz comercial: algumas companhias estão oferecendo roteiros especiais, com viagens que prometem impacto ambiental zero. São roteiros para conhecer a Amazônia, ver as baleias na Cidade do Cabo, ou os ursos polares no Ártico.

Os jardins são a nova comodidade dos hotéis

Não há muita sutileza nas nossas vidas aceleradas, e talvez seja por isso que os jardins estão se transformando no novo atrativo dos hotéis. Pode soar estranho e quase tedioso – e é exatamente por isso que é interessante. Alguns hotéis tradicionais estão reformando seus jardins para dar destaque às plantas locais, substituindo a flora importada. Alguns também estão promovendo visitas guiadas pelos jardins, acompanhadas pelo chefe de jardinagem do local.

Suas férias vão começar antes de você sair de casa

Ansioso pelas férias? Pois saiba que sua hospedagem pode começar antes de você ir para ir para o aeroporto. Alguns hotéis têm mordomos que buscam o hóspede na porta de casa e o leva até o terminal de embarque. Mimos e serviços personalizados acompanham a viagem. O mesmo serviço VIP é oferecido na volta para casa – tudo para prolongar ao máximo possível a alegria de estar de férias.

Outros hotéis não chegam a te buscar em casa, mas te mandam presentes na véspera. Um hotel no Havaí envia para a casa do hóspede uma mala personalizada, com convites para aulas de stand-up paddle.

O all-inclusive está cada vez mais all-inclusive

Vários hotéis vão superar o conceito de all-inclusive, em 2020. Não é só refeição e bebida liberada: alguns hotéis estão incluindo aula de ioga, spa, degustação de vinhos e até passeios a cavalo pelos Andes. Tudo já incluso no valor da hospedagem.

Clubes de viagem voltaram à moda

Os clubes de viagem talvez te remetam às antigas agências de turismo, vendendo viagens com descontos nos livrinhos. Agora, a proposta é completamente diferente. Os clubes de viagens estão se tornando uma das formas mais luxuosas de se planejar as férias. Alguns funcionam quase na lógica dos bufês a preço fixo: “viaje o quanto puder”.

O custo parte de US$ 2.500 por mês, e inclui quantas noites você desejar passar nos hotéis parceiros do clube, em casas de luxo ou até em viagens de cruzeiro. Algumas experiências exclusivas, como o acesso VIP para eventos esportivos também estão incluídos. Mas se você quiser reservar mais de uma viagem por vez, ou viajar com mais de um acompanhante, o custo fica bem maior.

Há também os clubes temáticos, como o para os “culturalmente curiosos”. Nesse serviço, o viajante vai poder celebrar o festival hindu Holi, na Índia, e depois passar uma semana no Uruguai, comendo refeições preparadas na brasa.

Os spas ficarão mais tecnológicos

Cápsulas de meditação, Bod Pod, realidade virtual de bem-estar – se você não tem ideia do que essas coisas são, você descobrirá em breve. Um resort no caribe inaugurou um aparelho parecido como uma nave espacial, que promete “resetar” o cérebro dos hóspedes pela manipulação dos cinco sentidos. Em uma viagem que dura de 20 a 80 minutos, o óculos de realidade virtual “leva” os hóspedes ao espaço, ao meio do oceano calmo, ou até a jardins zens, enquanto a máquina reproduz sons e cheiros, imitando até mesmo o vento e a temperatura. A máquina analisa também os dados da respiração e do batimento cardíaco, para garantir que o hóspede está relaxado.

Já um hotel nos Alpes criou um aparelho que ajuda o organismo dos hóspedes a se adaptar à altitude antes do primeiro dia de esqui. A preparação envolve a respiração de um ar com menos oxigênio, por uma máscara que é usada pela tripulação de submarinos e atletas de alta performance.

Em outro hotel em Zurique, esteticistas usam microscópios para saber as características de pigmentação e elasticidade da pele do hóspede, e então enviam esses dados para um centro de pesquisa, que cria uma “prescrição” para produtos personalizados. O processo leva três meses, após a análise inicial, o que reduz a atratividade para os visitantes casuais.

Cruzeiros estão ficando menores e bem mais legais

As companhias estão tentando superar nosso conceito sobre cruzeiros. Navios menores, desenhados quase como residências-butique, vão tornar a visita a locais costeiros mais fácil e mais atrativa. Uma companhia japonesa inaugurou um cruzeiro pelo mar de Soto, com apenas 19 cabines e um restaurante de sushi especializado.

(Com Bloomberg)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.