Copacabana, Ipanema, Pão de Açúcar, Cristo Redentor: não faltam, no Rio de Janeiro, destinos turísticos dos quais praticamente todo mundo já ouviu falar pelo menos uma vez na vida.

Mas a Cidade Maravilhosa também oferece passeios menos óbvios que prometem surpreender e encantar os visitantes.

Na capital fluminense, existem monumentos históricos, estabelecimentos culturais e recantos de ecoturismo que ainda podem ser considerados segredos bem guardados, pois nem sempre se encontram apinhados de turistas.

Está com viagem programada para o Rio? Então conheça, aqui, um lugar imperdível e três locais inusitados para explorar por lá.

Atração imperdível: Ilha Fiscal

Símbolo do período imperial do Rio de Janeiro, agora a Ilha Fiscal também pode ser visitada por nós, reles mortais que não somos da realeza
Crédito: De Oliveira França/Shutterstock

Um cenário de conto de fadas no meio da Baía de Guanabara.

É isso o que é a Ilha Fiscal, uma edificação neogótica inaugurada em 1889 pelo então imperador D. Pedro 2º, com o objetivo de ser um posto aduaneiro.

Naquele mesmo ano, foi realizado no local o famoso “Último Baile do Império”, uma festança durante a qual D. Pedro 2º teria escorregado e, logo em seguida, dito, em tom de brincadeira: “o imperador escorregou, mas a monarquia não caiu”.

Ironicamente, a República seria proclamada alguns dias depois.

Hoje, a Ilha Fiscal é aberta a visitas turísticas e encanta os visitantes com suas lindas torres levantadas sobre o oceano Atlântico e seu interior adornado por vitrais e salões imponentes.

Este pedaço de terra também proporciona uma vista incrível para a paisagem urbana do Rio de Janeiro e, em especial, para os pousos e decolagens do aeroporto Santos Dumont.

O percurso até a ilha pode ser feito com escuna ou van (por uma via de concreto que passa sobre o mar). E, no tour, é possível conhecer o navio Bauru, que participou da Segunda Guerra Mundial.

Parque das Ruínas: mirante em Santa Teresa

O Parque das Ruínas, em Santa Teresa, abriga a estrutura de de um antigo palacete e oferece uma das melhores vistas da Baía de Guanabara e do Pão de Açúcar
Crédito: Diego Grandi/Shutterstock

Muita gente, quando quer ver o Rio de cima, vai ao Pão de Açúcar ou ao Cristo Redentor.

Mas, em um ponto alto da charmosa região de Santa Teresa, existe um lugar que também oferece visão privilegiada da capital fluminense.

O local se chama Parque das Ruínas e abriga a estrutura de um palacete que pertenceu à aristocrata Laurinda Santos Lobo – e que teria sido “um dos mais efervescentes salões da Belle Époque carioca, como diz uma placa colocada em sua entrada.

Ali foram realizadas, no começo do século 20, festas lendárias que contaram com a presença de gente como o músico Heitor Villa-Lobos e a dançarina americana Isadora Duncan.

Atualmente, no Parque das Ruínas, os turistas podem caminhar dentro da estrutura do antigo palacete (que é muito bem preservada) e curtir um mirante que proporciona vista panorâmica para a Baía de Guanabara e o Pão de Açúcar.

Real Gabinete Português de Leitura: biblioteca sublime

Considerado uma das bibliotecas mais bonitas do mundo, o Real Gabinete Português de Leitura é um tesouro escondido no centro do Rio
Crédito: Nido Huebl/Shutterstock

Quer fazer um passeio de primeira linha que misture arquitetura e cultura no Rio?

Caso a resposta seja sim, reserve algumas horas para conhecer o Real Gabinete Português de Leitura, na região central da cidade.

Fundado no século 19, o local é famoso por sua fachada que remete aos traços do Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, e um interior com estantes lindíssimas que abrigam milhares de livros clássicos (entre eles está um exemplar da primeira edição de “Os Lusíadas”, de Camões, publicado em 1572).

O Real Gabinete Português de Leitura recebeu visitas frequentes de escritores como Machado de Assis e foi palco para as primeiras reuniões da Academia Brasileira de Letras.

Prainha: beleza selvagem

Distante das badaladas praias da zona sul do Rio, a Prainha é quase um refúgio selvagem de mata Atlântica na zona oeste da cidade
Crédito: Rodrigo Bark/Shutterstock

E aqui vai uma dica de praia no Rio de Janeiro que foge da rota clichê Copacabana-Ipanema-Leblon.

Trata-se da Prainha, uma pequena faixa de areia fofa acessível através da Avenida Estado da Guanabara e que é cercada por morros forrados por mata Atlântica, em um ambiente selvagem ideal para os amantes da natureza.

O lugar atrai tanto quem passar horas deitado se bronzeando sob o sol carioca como os amantes do surfe: o mar, de ondas fortes, é propício para a prática do esporte.

Mas vale a pena chegar cedo à Prainha: o sol costuma desaparecer atrás das montanhas já no meio da tarde.

A Prainha fica a cerca de 35 km de Copacabana.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.