À medida que mais pessoas anseiam por uma folga após o confinamento, a Islândia está tentando se antecipar a destinos rivais, ao mesmo tempo em que protege o país de um aumento nos casos de coronavírus.

Os viajantes que chegarem ao aeroporto internacional da ilha em breve poderão evitar uma quarentena obrigatória de duas semanas ao optar por pagar 15.000 coroas (US$ 115, ou R$ 572) por um teste no local, já que o país busca salvar a indústria do turismo prejudicada pela Covid- 19.

Os testes serão gratuitos até o início de julho. Depois desse período, os passageiros que chegarem ao aeroporto de Keflavik, o maior do país, terão a opção de se isolar ou pagar pelo teste, disse o Ministério da Saúde da Islândia na sexta-feira (dia 5).

Turismo traz mais receita que os bancos

O turismo responde por quase metade da receita de exportação da Islândia, depois que substituiu o setor bancário como a principal fonte de divisas após a crise financeira global. Atrair visitantes é essencial para ressuscitar uma economia que se deve contrair 8% neste ano.

Outros países europeus dependentes de turismo, como a Grécia, estão seguindo estratégias semelhantes, permitindo que visitantes de mais localidades cheguem com regras que variam de acordo com o aeroporto de origem. O Reino Unido, por outro lado, irritou as companhias aéreas e as empresas de viagens ao manter seu plano de duas semanas para o período de isolamento obrigatório para os passageiros que chegam.

A Islândia, com uma população de 365.000 habitantes, foi um dos mais bem sucedidos países a combater a pandemia, limitar infecções e realizar testes extensivos. O país registrou apenas alguns casos novos desde o início de maio e está em processo de reduzir as restrições.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).