Apenas nove dias depois de o Reino Unido permitir que americanos vacinados entrem no país sem precisar de quarentena, a JetBlue Airways faz nesta quarta-feira (11)  sua primeira incursão no serviço transatlântico com voos na rota mais rentável do mundo: do Aeroporto Internacional John F. Kennedy de Nova York a Heathrow em Londres.

É um passo muito esperado pelos clientes da operadora, que se tornou popular com a oferta de um serviço amigável e acessível principalmente nos Estados Unidos e no Caribe. E é apenas a primeira etapa de um plano para levar seus clientes fiéis à Europa: a companhia aérea também deve começar a operar voos de Boston a Londres ainda este ano.

Na classe econômica, é possível encontrar passagens só de ida do JFK para Heathrow por apenas US$ 202 (cerca de R$ 1.050 no câmbio desta quarta). Mas o maior ativo que a JetBlue traz para a competitiva rota é sua oferta de classe executiva acessível Mint, com 24 suítes fechadas em cada A321. Esses assentos são vendidos a partir de US$ 1.660 ida e volta – ainda mais baratos do que a tarifa inicial originalmente anunciada de US$ 1.979. Os horários da companhia aérea, que também incluirão voos para Londres Gatwick a partir de setembro, oferecem pernoites fáceis nos trechos de ida e partidas ao meio-dia nos retornos.

A empresa encontrou um grande obstáculo no caminho, antes mesmo do voo inaugural. No fim de julho, o CEO Robin Hayes disse em teleconferência que os voos para Heathrow e Gatwick começariam diariamente em agosto, mas seriam reduzidos para quatro vezes por semana em setembro, refletindo a demanda mais fraca em um rota que tipicamente gera US$ 1 bilhão por ano para companhias aéreas. Outro fator: os britânicos ainda não têm permissão para entrar nos Estados Unidos, exceto em circunstâncias extraordinárias.

Mas há sinais animadores. O diretor comercial da Virgin Atlantic Airways, Juha Jarvinen, disse à Bloomberg no fim de julho que as reservas entre Nova York e Londres mais do que dobraram semanalmente, e operadoras tradicionais, como American Airlines e United Airlines, retomaram e expandiram voos para a capital britânica depois da paralisação em 2020. Entrar na rota agora, antes que as janelas estejam totalmente abertas, oferece vantagens não apenas para a JetBlue, mas também para uma série de empresas competindo para atender aos padrões de baixo custo e alto conforto da rival.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).