Um navio da Royal Caribbean que fazia um cruzeiro de quatro dias foi forçado a retornar ao porto de Cingapura e confinar os passageiros em suas cabines depois que um caso positivo de covid-19. O episódio ilustra o tamanho do desafio de retomar as viagens de cruzeiro durante a pandemia.

Cerca de 2.000 passageiros do Quantum of the Seas ficaram presos em suas cabines por mais de meio dia depois de serem informados da infecção pelo capitão por volta das 2h45, horário local de quarta-feira. O passageiro, um idoso de 84 anos, foi isolado e levado para um hospital em terra, enquanto os oficiais rastreavam seus contatos dentro da embarcação.

O incidente mostra como será difícil fazer com que a indústria de cruzeiros volte a funcionar, principalmente com a vacinação em massa ainda por um tempo. Cingapura virtualmente eliminou a transmissão local, e os chamados cruzeiros para lugar nenhum – viagens que partem e chegam ao mesmo destino depois de navegar no mar – foram uma parte fundamental da tentativa da economia dependente do turismo de reiniciar o setor. Apesar das precauções, incluindo testes pré-cruzeiro e máscaras obrigatórias, uma infecção ainda foi capaz de se instalar no Quantum of the Seas.

O Ministro do Comércio e Indústria de Cingapura, Chan Chun Sing, disse que o caso no Quantum of the Seas “não foi inesperado”, de acordo com o ChannelNewsAsia, e que o governo estava preparado para tal situação.

Todos os 1.680 passageiros – incluindo o homem que mais tarde adoeceu – e 1.148 tripulantes tinham testado negativo para o vírus quando o navio partiu em 7 de dezembro.

(Com Bloomberg)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).