O turismo nas Ilhas Maurício entrou em colapso depois que o governo decidiu isolar a ilha do mundo para controlar o surto de coronavírus. Parecia difícil piorar, mas piorou. O paraíso turístico enfrenta seu maior desastre ecológico de todos os tempos, o que pode significar perdas irreparáveis para uma indústria que é sua força econômica.

Um vazamento de petróleo de um navio tanque encalhado está poluindo ecossistemas delicados e a reserva do Blue Bay Marine Park, popular entre os mergulhadores. Pelo menos mil toneladas de lama negra já mancharam as águas azul turquesa da costa sudeste da ilha do Oceano Índico depois que o navio encalhou, em 25 de julho.

Os recursos para impedir o vazamento chegaram com atraso. Segundo o governo local, não foi possível iniciar as operações de contenção do óleo imediatamente por falta de recursos.

O desastre ocorre em um momento em que o governo está sob pressão crescente para reabrir o aeroporto para estrangeiros. A indústria do turismo gerou US$ 1,6 bilhão no ano passado e emprega cerca de um quinto da força de trabalho do país.

“Estamos preocupados com o impacto da crise ambiental na imagem de marca de Maurício como um destino turístico”, disse Karine Curé, diretora de comunicação da New Mauritius Hotels, que possui e administra a marca Beachcomber de resorts familiares.

Vazamento de óleo ameaça ecossistema das Ilhas Maurício, no Oceano Índico
Crédito: Bloomberg

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).