Todo ano, a revista britânica Restaurant divulga o The World’s 50 Best, um dos mais prestigiados rankings de gastronomia do mundo. Apesar de o nome falar em cinquenta melhores, a lista de 2019 conta com 120 restaurantes. Dessa relação, cinco são brasileiros.

O 6 Minutos procurou as cinco casas, três localizadas em São Paulo e duas no Rio de Janeiro, e traz as dicas para você saber como visitá-las e quanto precisa gastar para comer em cada uma delas. O primeiro entre os brasileiros é o paulista A Casa do Porco Bar, do chef Jefferson Rueda, que ocupa a 39ª posição da lista geral.

1º – A Casa do Porco Bar

Chef Jefferson Rueda / Posição mundial: 39º

Onde fica? Na rua Araújo, 124, no centro de São Paulo.

Horário de funcionamento: De segunda a sexta-feira, das 12h à 0h; domingos, das 12h às 17h.

Como faço para comer lá? A Casa do Porco não tem reserva. Então, é só chegar, desde que você tenha (muita) paciência. No TripAdvisor, site de dicas de viagem no qual a avaliação do restaurante em geral é boa, as principais reclamações são relacionadas à fila, que pode levar muitas horas. A dica dos consumidores é chegar bem cedo: como a casa abre às 12h, programe-se para estar lá antes da abertura das portas.

Duas alternativas são a “janela de comida rápida”, a partir das 11h, que atende quem não quer esperar para comer e dispensa um lugar dentro do restaurante. A casa também tem alguns pratos disponíveis para entrega no aplicativo iFood.

A Casa do Porco Bar Dicas Restaurante

Torresmo de pancetta com goiabada é um dos principais pratos do restaurante A Casa do Porco Bar, um dos melhores do mundo segundo a revista britânica Restaurant

O que eu peço? O restaurante tem um menu degustação, com nove pratos, incluindo três destaques da casa: o sushi de papada de porco com tucupi negro, o torresmo de pancetta com goiabada crocante (foto) e o porco san zé – carne assada por um período entre seis e nove horas. Curiosidade: o nome é uma referência a São José do Rio Pardo, terra natal de Rueda.

Quanto eu vou ter que pagar? O menu degustação custa R$ 129 por pessoa.

2º – D.O.M.

Chef Alex Atala / Posição mundial: 54º

Onde fica? Na rua Barão de Capanema, 549, nos Jardins, em São Paulo.

Horário de funcionamento: Para almoço, de segunda a sexta-feira das 12h às 15h. Para o jantar, de segunda a quinta das 19h às 23h; às sextas e sábados, até 0h. O restaurante não abre aos domingos.

Como faço para comer lá? É preciso fazer reserva no site do D.O.M. Entre segunda e quinta-feira, o restaurante costuma ter horários disponíveis sem necessidade de reserva. Caso a intenção seja ir às sextas ou aos sábados, a recomendação é que se faça a reserva pelo menos três semanas antes da visita.

DOM Restaurante

Palmito pupunha com vatapá, leite de côco e taiobá, do D.O.M.
Crédito: Ricardo D’Ângelo/Divulgação

O que eu peço? O D.O.M trabalha com diferentes menus degustação, que vão de 6 a 10 pratos. O cliente pode escolher as versões sem proteína, que são mais baratas, e também a harmonização com águas aromatizadas ou vinhos.

O menu muda todo ano e é influenciado pela qualidade dos ingredientes, mas o restaurante recomenda três pratos de 2019: a salada de cogumelos yanomami, o palmito pupunha com vatapá e leite de coco (foto) e a vieira com caju e tutano.

Quanto eu vou ter que pagar? O menu degustação vai de R$ 415 a R$ 1.120 por pessoa. O primeiro valor diz respeito ao Vegetal Optimus, com seis ou sete pratos sem proteína e sem a harmonização. O segundo é o Maximus tradicional, com dez pratos, aligot (purê de batatas com queijo), uma sobremesa e vinhos. Durante a semana, na hora do almoço, o restaurante oferece um executivo ao preço de R$ 98 por pessoa.

3º – Maní

Chef Helena Rizzo / Posição mundial: 73º

Onde fica? Na rua Joaquim Antunes, 210, no Jardim Paulistano, em São Paulo.

Horário de funcionamento: No almoço, o restaurante abre das 12h às 15h de terça a sexta-feira e das 13h às 16h aos sábados e domingos. No jantar, o funcionamento é das 20h às 23h30 de terça a quinta-feira e das 20h30 à 0h às sexta-feiras e sábados. O restaurante fecha nos jantares de domingo e na segunda-feira o dia inteiro.

Como faço para comer lá? O Maní aceita reservas por três canais. Pelo site, pelo e-mail reservasmani@manimanioca.com.br e pelo telefone (11) 3085-4148 (atendimento das 9h às 16h aos domingos e às segundas e das 9h às 23h de terça-feira a sábado).

Moqueca do Maní

A moqueca é um dos principais pratos do restaurante Maní, da chef Helena Rizzo
Crédito: Maní/Divulgação

O que eu peço? Os pratos que se destacam são a moqueca, o pescado ou o fruto do mar do dia com terrine de arroz, pirão e azeite de pimenta, e o peixe laqueado com tucupi preto, que acompanha repolho, folha de mostarda, pêra e gohan.

O Maní também tem duas opções de menu-degustação, um com pratos da temporada e outro com as escolhas da chef Helena Rizzo. Atenção: o menu-degustação é servido somente no jantar e apenas se todas as pessoas da mesa optarem por ele.

Quanto eu vou ter que pagar? A combinação de entrada, prato principal e sobremesa custa R$ 210 por pessoa. O menu com pratos da temporada sai por R$ 250 e a seleção das escolhas da chef custa R$ 470. Nesse último caso, há ainda a opção da harmonização com vinhos naturais, que sai por R$ 730. Segundo o Maní, o tíquete-médio da casa é de R$ 230,16.

4º – Lasai

Chef Rafa Costa e Silva / Posição mundial: 74º

Onde fica? Na rua Conde de Irajá, 191, em Botafogo, no Rio de Janeiro.

Horário de funcionamento: O restaurante abre no jantar, de terça-feira a sábado, das 19h30 às 22h.

Como faço para comer lá? As reservas são pelo site do restaurante.

Lasai Restaurante

Galeto com cenoura branca, pinhão e couve-flor roxa do Lasai
Crédito: Lasai/Facebook/Reprodução

O que eu peço? O Lasai tem dois tipos de menu-degustação. Um que se chama “Festival”, que consiste em “se entregar e deixar que o chef e sua equipe preparem um menu especial para você”. E o outro que é o “Não me conte histórias”, que tem uma entrada, um prato principal e uma sobremesa. O restaurante tem “menu itinerante” e, por isso, não possui um cardápio fixo. O conceito é a preparação baseada nos melhores produtos da horta da casa no dia.

Quanto eu vou ter que pagar? O menu Festival oscila de acordo com a quantidade de etapas. O curto (aproximadamente oito) custa R$ 295, enquanto o longo (14 etapas) sai por R$ 345.

5º – Oteque

Chef Alberto Landgraf / Posição mundial: 100º

Onde fica? Na rua Conde de Irajá, 581, em Botafogo, no Rio de Janeiro.

Horário de funcionamento: O restaurante abre no jantar, de terça-feira a sábado, das 19h30 às 23h30.

Como faço para comer láPrecisa reservar. A reserva pode ser feita pelo e-mail info@oteque.com ou pelo telefone (21) 3486-5758.

Oteque Restaurante

Cebola com ouriço do restaurante Oteque
Crédito: Rodrigo Azevedo/Divulgação

O que eu peço? O restaurante trabalha com um menu degustação que tem oito passos e é voltado para peixes, frutos do mar e vegetais, que varia de tempos em tempos. O restaurante tem duas opções de harmonização do menu com vinhos, um light e outro premium. A diferença entre os dois é a superioridade dos vinhos (e, claro, o preço).

Quanto eu vou ter que pagar? O menu-degustação padrão custa R$ 345 por pessoa. As harmonizações do menu saem por R$ 275 (light) e R$ 435 (premium).

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).