Durante os dias úteis da semana, a newsletter do 6 Minutos oferece dicas culturais para seus leitores na seção After Market. Além disso, a Marina Rappa, nossa social media, também dá suas indicações em vídeo que publicamos no Instagram e também no YouTube. Para ajudar você a aproveitar o fim de semana, reunimos as melhores opções e vamos organizá-las em algumas categorias. Boa diversão!

ASSISTA (EM CASA)

“F1: DIRIGIR PARA VIVER” – para quem é fã de Fórmula 1, uma boa pedida que chegou ontem à plataforma de streaming Netlifx é a terceira temporada da série documental, filmada em 2020, ano em que a pandemia de coronavírus explodiu. A série mostra os bastidores do automobilismo, acompanhando de perto o desempenho de astros como Lewis Hamilton e Max Verstappen, entre outros.

“CHERRY” – Tom Holland e os irmãos Russo se encontram novamente após o final da série de filmes dos Vingadores, mas desta vez em um filme mais denso e maduro. Holland, que é um Homem-Aranha quase infantil no Universo Cinematográfico Marvel, encarna Cherry, um jovem que sofre de estresse pós-traumático após voltar da Guerra do Iraque. Sem apoio do governo, ele se vicia analgésicos e outras drogas e passa a aplicar golpes. Os diretores Joe e Anthony Russo decidiram gravar o filme sobre a crise dos opioides em sua cidade natal, Cleveland, em Ohio, um dos estados mais afetados pela epidemia do uso desse tipo de droga, que assola os EUA atualmente. O filme, inspirado no livro homônimo de Nico Walker, pode ser visto na AppleTV+.

“THE ONE” – O tema da série não é novidade: a partir do DNA de cada um é possível descobrir quem é seu único amor no mundo. Mas o desenrolar da trama tem um pouco de suspense e descamba para o policial. Desde o início, sabe-se que houve um assassinato. A dúvida é sobre quem matou e qual foi a motivação. A principal suspeita é a pesquisadora Rebecca Webb, que não hesita em passar por cima de tudo e todos. As implicações éticas da identificação da cara metade vão abater o casamento de Mark e Hannah, já que a combinação dele é outra mulher.

“IRRESISTÍVEL” – Steve Carell protagoniza esta sátira da política norte-americana. Ele dá vida a um estrategista democrata que, após a derrota de Hillary Clinton para Donald Trump, acredita que o futuro do partido está na eleição para prefeito de um fazendeiro e veterano do interior de Wisconsin, importante “swing state” (estado que não tem domínio claro de um dos partidos e que é, geralmente, decisivo em eleições nacionais). A presença de uma figura democrata de tanto peso em uma eleição menor chama a atenção de sua arquirrival republicana, interpretada por Rose Byrne. Começa então a nacionalização da disputa na pequena cidade, que luta para manter as contas em dia após o fechamento de uma base militar que era seu centro econômico e social. Com um senso de humor que é às vezes meio grotesco, o diretor Jon Stewart consegue levar o filme a um final surpreendente. Disponível para locação no Google Play Filmes.

“PARABÉNS, SENHOR PRESIDENTE” – As atrizes Danielle Winits e Christine Fernandes encarnam a atriz Marilyn Monroe e a cantora Maria Callas nesta peça online gratuita que estreia amanhã. A história se desenrola na noite da festa de 45 anos de John F. Kennedy, realizada em 19 de maio de 1962 em Nova York. As sessões acontecem nos dias 20, 21, 25 e 26 de março, às 20h. No dia 28, são duas sessões: às 18h e às 21h30. Os ingressos devem ser reservados pelo Sympla.

ORQUESTRA EM TEMPOS DE PANDEMIA – Com a nova onda de restrições à circulação, as orquestras sinfônicas de São Paulo voltaram a apostar em apresentações digitais. Neste sábado, às 19h40, haverá um bate papo em tempo real com integrantes da Orquestra Sinfônica Municipal, seguido de uma apresentação gravada de Bachianas Brasileiras nº 2, do compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos.

ESCUTE (DE CASA)

PERDEU, MAS JOGOU DE IGUAL PARA IGUAL – O Grammy não foi generoso com os Black Pumas. Indicados aos prêmios de “Gravação do Ano” e “Álbum do Ano”, o duo texano acabou perdendo as estatuetas para as superestrelas Billie Eilish e Taylor Swift. Apesar de ficar sem os prêmios, os Black Pumas já se colocam como uma das mais promissoras bandas da nova geração. As músicas atualizam e renovam o soul e o R&B, em melodias que soam novas e, ao mesmo tempo, familiares. Aperte o play e não se arrependa. A versão Deluxe do álbum de estreia traz releituras do primeiro trabalho da banda e performances ao vivo.

PATRIMÔNIOS DA ESCÓCIA – O Teenage Fanclub poderia tranquilamente estar ao lado do Scotch, do William Wallace e do monstro do lago Ness no panteão dos grandes ícones escoceses. Com mais de 30 anos de carreira e quase uma dúzia de álbuns de estúdio, a banda anunciou para o próximo mês o seu novo trabalho, “Endless Arcade”. Até a divulgação oficial, os fãs podem se contentar em ouvir os antigos sucessos ou o novo single “The Sun Won’t Shine on Me”, lançado no final de semana, que abusa da sonoridade agridoce tão característica da banda.

“PONTAPÉ” – A química entre José Trajano e Dudu Monsanto já era bem conhecida de quem assistia ao diário matinal “Pontapé Inicial”, que a dupla apresentou por muitos anos na ESPN Brasil. Com os dois fora da emissora esportiva e trabalhando separadamente em outras iniciativas, Trajano e Monsanto voltaram a se juntar no começo de 2019 para criar a versão podcast do antigo programa, que perdeu o “Inicial” no nome. Na última segunda-feira, eles chegaram à marca de 100 episódios no atual formato. Para os saudosos dos shows esportivos do rádio AM e também da versão televisiva inicial, a produção, que atualmente também conta com a participação fixa dos jornalistas Leandro Iamin, Matias Pinto e Gil Luiz Mendes, é um prato cheio. Espere menos debates sobre resultados de jogo e arbitragem e muito mais análises e opiniões sobre o entorno do futebol e de outros esportes. Novos episódios aparecem sempre nas manhãs de terça nas principais plataformas de áudio.

UM PEQUENO CLÁSSICO FAZ 20 ANOS – Há duas décadas, o Dirtbombs, banda de rock de Detroit formada em torno de Mick Collins, aproveitava a atenção que a música de uma das cidades mais importantes do gênero nos EUA (alô, Iggy Pop, MC5 e Alice Cooper!) vinha recebendo em razão do sucesso do White Stripes para lançar “Ultraglide In Black”. O disco, no entanto, era uma homenagem de Collins ao lado musical ainda mais conhecido da cidade: os sucessos da Motown, a gravadora mais importante para a música negra americana, que embalaram a vida de muitos anos anos 1960 e 1970. São 12 versões roqueiras dos Dirtbombs e apenas uma composição própria da banda. Entre as músicas escolhidas, “Living For The City” (de Stevie Wonder), “Kung Fu” (de Curtis Mayfield) e “I’m Qualified to Satisfy You” (de Barry White), entre muitos clássicos. A favorita da casa por aqui é “Got To Give It Up”, que transforma a levada soul mais melódica da original de Marvin Gaye em um funk rock cheio de swing e peso nas guitarras.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).