A espanhola Inditex, dona da marca de fast fashion Zara e o maior grupo de moda do mundo, anunciou que está adaptando algumas de suas linhas de produção para fabricar máscaras de proteção.

A empresa disse que já fez uma doação de 10 mil máscaras às autoridades de saúde da Espanha e que pretende entregar um lote com mais 300 mil unidades até o fim de semana.E que também estuda como viabilizar a produção em larga escala de aventais médicos. O país ibérico é um dos mais atingidos pela pandemia do coronavírus, com cerca de 18 mil casos confirmados e mais de 800 mortos.

As máscaras de proteção para uso por profissionais de saúde e pessoas comuns estão em falta em muitos países por causa da explosão do número de casos e consequente escalada da demanda. O mesmo acontece com produtos como luvas, óculos de proteção e álcool em gel, indispensáveis para reduzir o risco de contágio.

A Inditex informou que reconheceu em seu balanço um impacto negativo de ao menos US$ 300 milhões no valor de suas coleções para a primavera e o verão no Hemisfério Norte por causa da pandemia. Neste mês, números preliminares apontam uma queda de 24% nas vendas globais. Cerca de 3.800 lojas estão fechadas.

Nos últimos dias, empresas de diferentes setores anunciaram decisões semelhantes. A francesa LVMH, maior grupo de luxo do mundo, decidiu adaptar linhas de produção de perfume para fabricar álcool em gel. Essa substância também passará a ser produzida no país pela Ambev, a maior empresa brasileira de bebidas. Nos dois casos, os frascos serão doados para as autoridades de saúde, e não vendidos para elevar as receitas das empresas.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).