Um voluntário que morreu durante o ensaio da AstraZeneca para combater o Covid-19 no Brasil não havia recebido a vacina da empresa, segundo uma pessoa a par do assunto. A fonte da Bloomberg  pediu para não ser identificada porque as informações não são públicas.

Jornais locais noticiaram que um voluntário brasileiro morreu de complicações causadas pelo coronavírus, citando informações da agência reguladora de saúde do país, a Anvisa. A agência não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Os American Depositary Receipts da AstraZeneca chegaram a cair 3,3% em Nova York na tarde de quarta-feira após a notícia da morte do voluntário, mas reduziram suas perdas nas negociações recentes. A AstraZeneca está co-desenvolvendo uma vacina contra o novo coronavírus com pesquisadores da Universidade de Oxford.

A AstraZeneca disse que não pode comentar sobre casos individuais por causa da confidencialidade e das regras do ensaio clínico.

O ensaio clínico da vacina nos EUA está suspenso há mais de um mês. Os estudos foram interrompidos globalmente em setembro, quando um participante do Reino Unido ficou doente, mas foram retomados no Reino Unido, Brasil, África do Sul e Índia nas últimas semanas.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).