Crianças com o novo coronavírus poderiam contagiar outras pessoas tanto quanto adultos, segundo estudo da Alemanha que causou confusão sobre o papel delas na pandemia.

Os níveis de vírus no trato respiratório – a principal via pela qual o patógeno é transmitido – não parecem significativamente diferentes entre as faixas etárias, segundo a equipe de Christian Drosten, diretor do Instituto de Virologia do Hospital Charité, em Berlim. Os pesquisadores recomendaram cautela na reabertura de escolas e jardins de infância.

Outra linha de estudo sobre a resposta de crianças ao Covid-19 e o papel que desempenham no contágio sugere que elas não transmitem o vírus para adultos. Na quarta-feira, a Organização Mundial da Saúde disse que mais pesquisas são necessárias sobre o tema.

“Tudo o que realmente sabemos neste momento é que, com um pequeno número de exceções, as crianças são levemente afetadas por essa infecção”, disse Adam Finn, professor de pediatria da Universidade de Bristol e presidente do Grupo Consultivo Técnico Europeu de Especialistas em Imunização da OMS. “O que é muito menos claro é com que frequência elas são infectadas e quão infecciosas são entre elas e para outras pessoas da família.”

Por enquanto, os estudos de transmissão domiciliar indicam que as crianças têm menos probabilidade de transmitir o Covid-19 para adultos do que o contrário, disse a epidemiologista da OMS Maria Van Kerkhove a repórteres em Genebra na quarta-feira.

Tais observações podem ser “mal interpretadas como uma indicação de que as crianças são menos infecciosas”, disseram Drosten e outros pesquisadores. A equipe alertou “contra uma reabertura ilimitada de escolas e jardins de infância na situação atual”.

Menos tosse

Dados pediátricos mais detalhados sobre o Covid-19 da China mostram que 13% dos casos confirmados não apresentavam sintomas e, quando casos confirmados e suspeitos foram combinados, quase 30% das crianças de 6 a 10 anos eram assintomáticas.

É possível que, como crianças geralmente apresentam casos mais leves do Covid-19, sejam menos propensas a espalhar o vírus através da tosse e espirros, disse Mike Ryan, chefe do programa de emergências em saúde da OMS.

Embora cientistas tenham argumentado por que poucas crianças ficam gravemente doentes com o Covid-19, nenhum estudo explicou o mecanismo exato desse efeito protetor.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).