A quarentena já dura semanas e você não conseguiu fazer o que tinha planejado, segue procrastinando e ainda se desorganiza com o tempo? E mesmo sem sair de casa está cada vez mais cansado? Respire. Você não está sozinho nessa.

A procrastinação, no fim do dia, é resultado de uma tomada de decisão errada pelo cérebro. E há dois motivos principais para a procrastinação: o cansaço físico e mental, e a falta de motivação ou segurança para enfrentar uma tarefa. A explicação é da neurocientista Thais Gameiro, sócia da Nêmesis, empresa de assessoria e educação corporativa na área de neurociência organizacional.

Ambos os casos são comuns em tempos de pandemia. Em casa, as pessoas têm trabalhado mais e ainda lidam com tarefas domésticas e cuidados pessoais. A falta de motivação ocorre em meio à quantidade de notícias ruins e até a sensação de limite. “Às vezes, o dia está lindo e não podemos sair”, exemplifica Thais.

Como parar de procrastinar? Primeiro, você precisa entender se está mais cansado ou mais desmotivado.

Estou mais cansado, com sono e sem conseguir raciocinar. Deixo o mais trabalhoso sempre para depois. Nesse caso, Thais explica, o cérebro está pouco desperto e não tem energia para planejar o futuro, tomar uma decisão racional, pensar o que vai fazer na hora livre ou o que quer comer no fim do dia.

A dica é trazer novas possibilidades ao cérebro. Lembra da famosa dica dos intervalos? Por 10 minutos, algumas vezes ao dia, saia de frente da tela, caminhe um pouco pela casa, vá para perto da janela ficar perto da luz. Isso oxigena o cérebro.

Se você é do tipo que gosta de rotina, e mesmo assim está incomodado e cansado, olhe para seu dia a dia e veja como dá para melhorá-lo. Se sente que a vida repetitiva te cansa, é hora de trocar a posição da mesa de trabalho, às vezes até arriscar se sentar no sofá ou na cama. Rotina e hábito são importantes, mas é preciso reconhecer o momento de flexibilizar até se sentir descansado.

Estou desmotivado, indisposto e prostrado. Adio tarefas porque tudo está chato. O cérebro responderá bem se você se lembrar de coisas boas que já te aconteceram e motivos que têm para agradecer hoje. “Quando as pessoas se conectam com coisas boas e próximas a elas, dão prosseguimento às tarefas”, observa Thais.

Como saber se estou mesmo procrastinando? Faça uma lista diária das suas tarefas. E ao final do dia, veja o que foi finalizado. Se ao longo dos dias a lista não acabar, sim, você está procrastinando. É importante ter metas e acompanhar para saber se está indo bem ou mal.

Qual o método para dar um fim à procrastinação? Picar as tarefas ou “enganar” o cérebro. Segundo Thais, estejamos cansados ou desmotivados, o ideal é apresentar ao cérebro novas formas de encarar a missão. Se o pedaço da tarefa a ser feito é menor, o esforço também será. Então o cérebro, que quer economizar energia, entende que dá para fazer logo.

A solução “enganar o cérebro” é para os casos de um trabalho um pouco mais longo, como limpar a casa, escrever um projeto, resolver um problema adiável. Experimente se propor trabalhar na questão só entre às 14h e às 15h da tarde, por exemplo. É o típico caso de o mais difícil é começar. Segundo Thais, é grande a chance de você acabar gostando do desempenho e estender o prazo desse trabalho. Para dar o primeiro passo contra a procrastinação, essa enganada é uma boa forma de driblar o cérebro.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).