Apesar das notícias frequentes sobre festas clandestinas, os jovens brasileiros superaram a média global no comprometimento com orientações de saúde contra a Covid-19. Uma pesquisa global da Deloitte, divulgada com exclusividade para o 6 Minutos, mostra que millennials brasileiros são os que mais evitam locais com aglomeração, enquanto a geração Z dá exemplo de responsabilidade a partir do uso de máscara.

Quem são esses grupos? Os millennials são as pessoas nascidas entre 1980 e 1994, enquanto a geração Z é a quem vem logo em seguida: de 1995 a 2010.

O que diz a pesquisa? Segundo o relatório 2021 Millennial Survey, 78% dos millennials brasileiros afirmam evitar locais onde há aglomeração, contra 66% na média global para a faixa-etária. A geração Z fica um pouco atrás, mas também supera os dados mundiais.

E a máscara? No Brasil, os millennials ficaram atrás da geração Z nesse quesito, mas ainda mostram uma preocupação maior do que a média no resto do mundo.

O que mudou no campo subjetivo?  No Brasil, 86% dos millennials e 82% da egração Z afirmaram que a pandemia serviu como inspiração para tornar a própria vida melhor.

Além disso, de acordo com as entrevistas, o período fez com que 81% dos millennials e 78% da geração Z prestassem atenção em novas questões e se sensibilizassem mais às necessidades da comunidade local.

Como o estudo foi realizado? No Brasil, 800 pessoas foram entrevistadas para a pesquisa 2021 Millennial Survey da Delloite. O grupo nacional foi composto por 500 millennials e 300 representantes da geração Z.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).