Grandes redes de supermercados limitaram a venda de produtos para tentar evitar o desabastecimento. Esse foi o caso do Pão de Açúcar e Extra, que pertencem ao GPA, e do Carrefour. Mas a restrição não foi suficiente para impedir que os clientes que se deparem com prateleiras inteiras vazias. Há falta de papel higiênico, álcool líquido, água sanitária, hambúrguer congelado e até mesmo de bisnaguinhas, pão de forma e bolos prontos.

Que medidas foram adotadas? Os supermercados avisaram que vão limitar a venda de alguns produtos a três itens por cliente.

O que aconteceu? O avanço do coronavírus e a adoção do isolamento social gerou um efeito manada de corrida aos supermercados. As pessoas viram que as outras estava estocando produtos e passaram a comprar mais itens do que costumam precisar. O aumento repentino de demanda acabou afetando o abastecimento dos supermercados.

Preciso sair estocando produto? A Neogrid, empresa especializada em cadeia de suprimentos, diz que não. Após analisar mais de 800 pontos de vendas do varejo no Brasil, a empresa afirma que os supermercados têm estoque para atender os clientes.

Ué, não entendi! Então por que as prateleiras estão vazias? O problema, segundo a Neogrid, é que os supermercados estão com dificuldade de repor produtos nas gôndolas. Como eles acabam muito rapidamente, e o número de funcionários não aumentou, as lojas não estão dando conta de repor  na mesma velocidade com que os clientes compram.

Quais os itens mais levados? Como todo mundo sabe, a primeira coisa a acabar foi o álcool em gel e depois o papel higiênico. As vendas de papel higiênico em março subiram 102% em relação a igual período de fevereiro.

Mas o que está acontecendo? O varejo chama essa dificuldade de reposição das gôndolas de ruptura. Esse índice de ruptura cresceu muito em março, segundo a Neogrid. No caso do papel higiênico, o índice de ruptura subiu de 6,9% para 9,3%.

“Papel higiênico teve crescimento, provavelmente, pelo movimento de manada. As pessoas viram as outras comprando e fizeram o mesmo”, afirma Robson Munhoz, vice-presidente da Neogrid. “Além disso, como acompanhamos os estoques do varejo, vimos que houve uma falta de velocidade no abastecimento das gôndolas dos supermercados. Como não eram produtos que, normalmente, os repositores estão acostumados a abastecer, eles demoraram um pouco mais”, explica.

Vale lembrar que a pesquisa verificou o estoque dos supermercados até o dia 14 e os clientes ficaram mais preocupados depois desta data. Ou seja, esse índice pode ter subido muito mais.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.