Aproximadamente 3,4 milhões de brasileiros, ou 4,2% da população ocupada, estavam afastados do trabalho devido ao distanciamento social. Os números fazem parte da PNAD Covid, pesquisa semanal do IBGE sobre os impactos do coronavírus no país, e dizem respeito à primeira semana de setembro.

O levantamento do IBGE não leva em consideração pessoas que já trabalhavam remotamente antes da pandemia.

As pessoas estão voltando ao trabalho? Depende. O número variou pouco em relação à semana anterior. Estatisticamente, o IBGE considera que houve estabilidade, embora o levantamento do final de agosto tenha apontado que 3,6 milhões de brasileiros permaneciam em trabalho remoto. Contudo, na comparação com maio, a variação é significativa. Na ocasião, 16,6 milhões de trabalhadores estavam em home office, o que significa quase 20% de todos os brasileiros ocupados.

O desemprego cresceu? A taxa de desocupação segue alta, mas não variou nesta semana. Segundo a PNAD Covid, a população ocupada do país é de 82,3 milhões, praticamente o mesmo número da semana anterior. Isso significa que o Brasil tem aproximadamente 13,0 milhões de pessoas procurando emprego, o que coloca a taxa de desocupação em 13,7%.

O IBGE desconsidera menores de idade, aposentados e pessoas que deliberadamente não procuram emprego para cálculo da desocupação no país.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.