Esta matéria foi atualizada às 13h10

O Instituto Butantan e o laboratório chinês Sinovac Biotech firmaram parceria para a produção da vacina contra o coronavírus. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (11) pelo governador João Doria.

Se tudo de certo, a vacina estará disponível até junho de 2021.

Hoje, a vacina está no estágio 3 na China. Essa é a última fase antes dos registros sanitários e início da produção para distribuição. Cerca de 10 mil brasileiros também se voluntariaram para receber o teste da vacina.

Se a vacina se provar eficaz após os testes, os primeiros lotes deverão ser produzidos na China e serão importados pelo Estado de SP. Em um segundo momento, o Instituto Butantã fará a produção em escala industrial na sua sede, na zona oeste da capital paulista.

A produção da vacina contra o coronavírus no Brasil depende da autorização da Anvisa

Por que a parceria com a China? O governo paulista já conversava sobre outros temas com o laboratório chinês Sinovac Biotech. Agora, em meio às pesquisas para vacinas e medicamentos contra o coronavírus, a parceria foi reforçada.

Segundo Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, a tecnologia usada no desenvolvimento da vacina pelo laboratório chinês é uma já dominada pelo instituto brasileiro. Isso facilita a produção.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).