Comprar comida ficou mais caro. O problema é que o aumento atinge itens da cesta básica, ou seja, aqueles mais essenciais para a sobrevivência das famílias de menor renda. Pesquisa do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) mostra que o preço da cesta básica subiu em 15 das 17 capitais pesquisadas de fevereiro março.

A alta foi igual? Não? As maiores altas ocorreram em Campo Grande (6,54%), Rio de Janeiro (5,56%), Vitória (5,16%) e Aracaju (5,11%). As quedas foram observadas em Belém (-3,27%) e São Paulo (-0,24%).

A capital com a cesta mais cara foi o Rio de Janeiro (R$ 533,65), seguida de São Paulo (518,50) e Florianópolis (R$ 517,13).

Veja abaixo as maiores altas:

  • Tomate: o preço médio do tomate aumentou em 16 capitais. As altas variaram de 26,94% (Natal) e 58,44% (Campo Grande).
  • Óleo de soja: preço médio do óleo de soja subiu em 14 capitais, com taxas que variaram entre 0,47%, em Aracaju, e Belém, e 7,31%, em Recife.
  • Leite integral: aumentou em 13 cidades, com percentuais que variaram de 3,45% a 7,10%.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).