Nova York dará ingressos grátis para o Lincoln Center, jogos de beisebol, jardins botânicos e outros locais como incentivos para que as pessoas se vacinem contra a Covid-19, em uma tentativa de aumentar a proteção na cidade mais populosa dos Estados Unidos.

“Cada pessoa que é vacinada ajuda a fazer tudo avançar”, disse o prefeito Bill de Blasio, nesta segunda-feira (10). “Chegamos ao ponto em que a oferta excede a demanda.”

De Blasio disse que a cidade administrou mais de 7 milhões de doses, mas a taxa caiu vertiginosamente desde abril, quando distribuiu até 115.000 vacinas em um único dia. Na sexta-feira, menos de 60.000 doses foram aplicadas e no domingo, menos de 16.000.

Enquanto 3 milhões de nova-iorquinos estão totalmente vacinados, de Blasio prometeu atingir 5 milhões de residentes totalmente vacinados até junho. A cidade começou a permitir a ida aos locais de vacinação sem hora marcada e disse que começaria a oferecer mais incentivos.

Nova Jersey criou uma campanha para distribuir cerveja para os vacinados e o governador de Nova York, Andrew Cuomo, anunciou na semana passada que os fãs do Citi Field e do Yankee Stadium que tomarem a vacina no estádio receberão entrada para um jogo futuro.

De Blasio disse que não prevê incentivos em dinheiro ou penalidades para quem não se vacinar. “Os incentivos e a conveniência ajudam”, disse.

Os jovens são os principais retardatários: menos de um quarto dos nova-iorquinos de 18 a 24 anos está totalmente vacinado, em comparação com 65% das pessoas de 65 a 74 anos, de acordo com dados da cidade. A cobertura também varia muito por bairro: cerca de 80% dos residentes no distrito financeiro de Manhattan estão totalmente vacinados, por exemplo, em comparação com 28% em Hunts Point, no Bronx.

De Blasio também disse que Nova York atingiu o menor número de casos de Covid em seis meses.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).