(Atualizado às 19h35)

O rápido avanço do coronavírus no Brasil e no mundo tem como um de seus principais efeitos a redução drástica do transporte aéreo. Para se ajustar à nova realidade, as três grandes companhias aéreas com operação no Brasil, Latam, Gol e Azul, informaram nesta segunda-feira (dia 16) uma forte redução temporária nos voos programados, até que a situação se normalize.

Azul Linhas Aéreas

Azul, terceira maior companhia do país, anunciou que reduzirá a sua capacidade entre 20% a 25% neste mês de março, e entre 35% e 50% nos próximos meses, até que a demanda se normalize.

A empresa ainda suspendeu, a partir de hoje (dia 16), todos os voos internacionais, com exceção dos que partem de Campinas (São Paulo), onde estão concentradas suas operações.

“Embora nossa principal prioridade continue sendo a saúde e a segurança de nossos tripulantes e clientes, continuamos focados no ajuste da capacidade de acordo com a variação na demanda e na preservação de nossa posição de caixa durante esse período desafiador”, disse John Rodgerson, CEO da Azul.

As ações da companhia aérea estão entre as que mais perderam valor neste ano por causa do avanço da infecção.

A Azul também anunciou um programa de licença não remunerada com 600 pedidos aprovados até o momento, além de redução de salário de 25% dos membros do comitê executivo até a normalização da situação. As medidas incluem ainda a suspensão de novas contratações e de viagens a trabalho e despesas discricionárias.

Latam

A companhia aérea Latam Airlines, com sede no Chile, informou que reduzirá seus voos em 70%, diante dos desdobramentos da epidemia do coronavírus.

Em comunicado, a empresa afirmou que os voos internacionais serão reduzidos em 90%, enquanto os domésticos terão diminuição de 40%, seguindo-se ao fechamento de fronteiras em vários países.

“Tomamos essa decisão difícil após o fechamento de fronteiras que impossibilitaram a operação em grande parte de nossa rede. Se essas restrições de viagens sem precedentes forem estendidas nos próximos dias, não podemos descartar novas reduções em nossa operação”, disse o diretor comercial e presidente eleito da Latam, Roberto Alvo.

A companhia acrescentou que todos os passageiros com voos nacionais ou internacionais afetados poderão reprogramar seus voos até 31 de dezembro, sem custo adicional.

A empresa explicou ainda que seus canais de atendimento estão recebendo um grande número de consultas. Para poder se concentrar nos passageiros com casos mais urgentes, a Latam pediu que os clientes não liguem com antecedência superior a 72 horas em relação à data do voo.

Gol

A Gol decidiu cortar sua capacidade total de voos entre 60% e 70% até meados de junho, em resposta à queda da demanda registrada nas últimas semanas disparada pelo pânico em torno da pandemia de coronavírus.

A companhia afirmou que o corte na oferta será da ordem de 50% a 60% no mercado doméstico e de 90% a 95% nas operações internacionais. A empresa ressaltou que o cálculo para os cortes de capacidade foram feitos com base “nas melhores estimativas” e com “as informações atualmente disponíveis” e por isso não descarta fazer revisões na estimativa.

“Em fevereiro, a companhia observou um efeito muito pequeno com o avanço do covid-19, e não foi preciso ajustar o seu nível de serviço aos clientes. No entanto, nesses últimos dias, houve um declínio mais significativo na demanda em todo o mercado de viagens aéreas no Brasil”, afirmou a Gol, sem dar detalhes sobre a demanda.

(Com a Reuters)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).