Uma pesquisa elaborada pelo Datafolha, a pedido do Simpi (Sindicato de Micro e Pequenas Indústrias do Estado de São Paulo), mostrou que a maioria das fábricas paulistas continua com as atividades total ou parcialmente paradas.

Por ser considerado essencial, o setor industrial tem permissão para operar normalmente, mas a falta de insumos e as restrições de circulação de pessoas impuseram uma diminuição ou parada total nas atividades das empresas do setor, principalmente das micro e pequenas fábricas.

Desde o dia 1º de junho, o estado de São Paulo está em processo de flexibilização da quarentena, com a retomada progressiva do comércio. A pesquisa do Datafolha e do Simpi foi realizada na última semana de maio — antes de o relaxamento das medidas de isolamento entrarem em vigor.

Veja mais números da pesquisa:

  • 22% das micro e pequenas indústrias estão totalmente paradas;
  • 40% estão com a maior parte das atividades paradas;
  • 16% funcionam com uma pequena parte das atividades suspensa;
  • 22% funcionam normalmente.

No interior, o número de fábricas funcionando normalmente é bem maior (47%). Na Região Metropolitana de São Paulo esse índice cai para 28%.

Emprego

Ainda de acordo com a pesquisa, 3 em cada 10 micro e pequenas indústrias afirmaram que já demitiram durante a crise. Desse total, 14% disseram ter dispensado mais de 30% dos funcionários.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).