Com mais de meio milhão de mortos por Covid-19 no Brasil, não há como deixar de falarmos em luto no ambiente corporativo. São muitas as pessoas que estão lidando com perdas de amigos e familiares – estima-se que um em cada oito brasileiros tenha passado por isso na pandemia – e esse estado emocional afeta as pessoas de diferentes formas e em todas as áreas da vida, inclusive no trabalho.

O luto é vivenciado de forma individual e cada um vai lidar da sua própria maneira de acordo com cada contexto. No entanto, na pandemia, especificamente, vem sendo de uma forma muito diferente, uma vez que os rituais aos quais estamos acostumados não estão acontecendo e a despedida muitas vezes é realizada a distância.

Levando em conta o ambiente corporativo, o que as empresas podem fazer em caso de luto do colaborador? É necessário entender que o luto de um funcionário afeta não só ele, como pode impactar toda a equipe. Neste caso, o acolhimento, respeitando sempre a permissão da pessoa enlutada, é fundamental. Escutar, tentar entender o que aquele funcionário está passando. Os gestores precisam ter neste momento a sensibilidade de perceber a situação e atuar como um porta-voz da equipe, promovendo reuniões, ainda que remotas, para falar sobre o tema de uma maneira aberta.

Além disso, a empresa também pode considerar financiar um acompanhamento psicológico, principalmente se pensarmos que, na situação atual, esse tipo de serviço está mais acessível. A depender do tamanho da empresa, a promoção de palestras, grupos de apoio e ações que, inclusive, possam ser estendidas para a família, também são propostas interessantes.

Para além disso, a antecipação das férias e diminuição das atividades também podem ser estratégias a serem adotadas. Todas essas ações fazem com que a pessoa que está passando pelo luto entenda que existem aliados e que o seu ambiente de trabalho é um espaço seguro – também é importante que essas ações passem a fazer parte da cultura da empresa para que sejam colocadas em prática sempre que necessário e não só em um período específico.

E quando o chefe é quem está de luto?

Muito se fala sobre a atuação das lideranças para com seus colaboradores, e é claro que isso é muito importante, mas é preciso olhar também para essa pessoa que está em um cargo de gestão e que também precisa ser cuidada. Afinal, o chefe é uma figura muito importante e um modelo para os demais funcionários, então a sua saúde mental impacta diretamente o ambiente de trabalho e a produtividade da equipe.

Se o próprio líder perdeu alguém próximo e está de luto, a questão também não pode ser ignorada. O gestor também precisa vivenciar seu processo de luto e demonstrar sua própria vulnerabilidade. Para isso, é importante ter um diálogo aberto tanto com a equipe, quanto com o RH da empresa. A partir disso, cabe à empresa mudar o fluxo de trabalho para que exista uma reorganização do setor nas questões práticas, seja delegando as tarefas, adiantando férias ou trabalhando com as demais ações que também são direcionadas para todos os colaboradores na mesma situação.