O avanço da tecnologia nas últimas duas décadas transformou a economia e o mercado de trabalho. Novas profissões surgiram, como a de cientista de dados, enquanto outras ficaram obsoletas. Mas a digitalização do mundo pouco afetou os sonhos de carreira dos adolescentes ao redor do mundo. É o que revela uma pesquisa divulgada pela OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

Medicina, direito, engenharia e licenciaturas estão entre as carreiras mais procuradas por estudantes de 15 anos em 41 países. Os resultados estão no estudo “Empregos dos sonhos? As aspirações de carreira dos adolescentes e o futuro do trabalho”, cujas informações constam das respostas de estudantes ao questionário do Pisa (o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes) realizado em 2018.

Quais foram as perguntas? A publicação analisa, entre outras informações, as respostas à seguinte pergunta: “Qual profissão você espera ter aos 30 anos de idade?”, feita aos participantes do Pisa. O levantamento analisa ainda os resultados dos países que participaram da edição do exame em 2000 e em 2018.

Quais as profissões dos sonhos dos adolescentes? O estudo da OCDE divulga o ranking por gênero, para mostrar as diferenças.

Meninas de 15 anos:

  1. Médica
  2. Professora
  3. Administradora
  4. Advogada
  5. Enfermeira
  6. Psicóloga
  7. Designer
  8. Veterinária
  9. Policial
  10. Arquiteta

Meninos de 15 anos:

  1. Engenheiro
  2. Administrador
  3. Médico
  4. Profissional de tecnologia da informação
  5. Profissional do esporte
  6. Professor
  7. Policial
  8. Mecânico de carro
  9. Advogado
  10. Arquiteto

Quais as diferenças entre o levantamento em 2010 e em 2018? Entre as mulheres, tanto em 2000 quanto em 2018, medicina, direito, licenciaturas, enfermagem, psicologia, administração e veterinária estão entre as top 10.

Em 2000, profissões como jornalista, secretária e cabeleireira completavam o ranking. Em 2018, elas saíram e deram lugar às ocupações de designers, arquitetas e policiais.

Entre os homens, as profissões são as mesmas desejadas de 2000 e apenas mudaram de lugar no ranking em 2018. Engenharia, que ocupava a terceira posição entre os meninos, passou a ser a mais buscada.

Existem dados sobre o Brasil? Sim. Há uma concentração das carreiras mais desejadas: dez delas representam o interesse de 7 em cada dez adolescentes. Esse fenômeno de preferência por poucas carreiras é global, embora de forma menos acentuada: 47% dos meninos e 53% das meninas de 15 anos citaram uma entre as dez profissões do topo do ranking.

Mas qual a relevância da pesquisa? “As aspirações de carreira dos adolescentes são um bom preditor dos empregos que os alunos podem ocupar quando adultos”, observam os autores do estudo. A intenção é mostrar também como essas aspirações (não) mudaram ao longo do tempo.

A automação não ameaça muitos dos empregos? De acordo com o estudo, a maioria das carreiras mais populares entre os jovens, como profissionais de áreas de saúde e sociais, culturais e legais, tende a ter baixo risco de automação.

No entanto, fora do ranking das profissões top 10, “muitos jovens selecionam empregos com risco muito maior de automação. Ao todo, 39% dos empregos citados pelos participantes do Pisa correm o risco de ser automatizados dentro de 10 a 15 anos”, aponta o estudo.

O que é mesmo o Pisa? Ele é confiável? O Pisa é aplicado a cada três anos e avalia estudantes de 15 anos em conhecimentos em leitura, matemática e ciências. Em 2018, o Pisa foi aplicado em 79 países e regiões, em um total de 600 mil estudantes. No Brasil, cerca de 10,7 mil estudantes de 638 escolas fizeram as provas.

(Com Agência Brasil)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.