O sonho de viajar para a Disney voltou com força. O interesse por passagens aéreas para os EUA subiu quase 400% desde que o governo americano sinalizou na segunda-feira (dia 20) que turistas brasileiros totalmente vacinados poderão entrar no país a partir de novembro.

O buscador Kayak registrou um aumento de 353% nas pesquisas por viagens para os Estados Unidos. O destino mais procurado é estado da Flórida, com três cidades na preferência (Fort Lauderdale, Orlando e Miami).

Mas é só para a Flórida que as pessoas querem ir? Lógico que não. O segundo estado mais buscado é a Califórnia, com dois destinos (San Francisco e Los Angeles).

“Essa é uma notícia muito boa para o turismo. Os Estados Unidos é um país importante para o mercado de viagens por ser um dos destinos principais para os turistas e por ser especialmente querido dos brasileiros”, diz Gustavo Vedovato, country manager do Kayak no Brasil.

Como as empresas aéreas sentiram essa procura? Na Latam, as buscas por viagens aos EUA subiram 350% nas 24 horas seguintes ao anúncio de liberação das viagens turísticas a passageiros vacinados. Já a Gol diz que houve um salto de 330% nas vendas. Na Azul, as vendas subiram seis vezes em relação às semanas anteriores, enquanto as buscas cresceram 380%.

Vai ter mais voo? As empresas que operam voos aos EUA se dizem prontas para aumentar as frequências assim que os detalhes da liberação saírem. Hoje, a Latam opera 3 voos semanais na rota Guarulhos-Nova York e outros 3 voos semanais na rota Guarulhos-Miami. “A empresa está preparada para aumentar os voos entre os países assim que a reabertura for oficializada pelas autoridades.”

E quanto estão as passagens? Para Miami, o preço médio das passagens está em R$ 4.163, uma alta de 9% em relação à semana anterior. Para Orlando, o preço médio é de R$ 3.570, queda de 4% no período.

Já dá para sair comprando passagem? Não é bem assim. Para começar, o governo americano anunciou que a reabertura será apenas para passageiros totalmente imunizados contra a covid-19. Mas como não especificou quais são as vacinas que serão aceitas, não dá para saber quem de fato poderá viajar nesta nova fase.

Além disso, é preciso lembrar que ainda estamos em uma pandemia, com o surgimento de novas variantes do coronavírus que podem mudar da noite para o dia as restrições sanitárias de cada país.

Mais do que o inconveniente com a mudança de planos, há a questão financeira que deve ser levada em conta. Pelas regras da pandemia, as companhias aéreas podem fazer o reembolso de passagens em até 12 meses, sem penalidades, a contar da data do voo cancelado. Ou seja, um eventual cancelamento não será ressarcido da noite para o dia.

Esse aceno às viagens influenciou as ações do setor? Sim. Desde o anúncio dos EUA até quinta-feira, as ações da CVC subiram 15,13%. No mesmo período, as da Gol avançaram 12,44% e as da Azul, 9,09%. Veja como ficou o valor de mercado dessas empresas, segundo cálculos da Economatica:

EmpresaVariação da ação de 17 a 23/09/2021Valor de mercado em 17/09 (em R$ milhares)Valor de mercado em 23/09 (em R$ milhares)Variação de valor de mercado (em R$ milhares)
CVC15,13%4.592.9615.287.979695.017
Gol12,44%6.800.437846.055846.055
Azul9,09%11.879.08712.959.0041.079.917
Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).