As mulheres começam a receber quase tanto quanto os homens nos Estados Unidos, mostra um relatório divulgado em 2 de setembro.

O avanço para a redução da diferença salarial é mais aparente quando funcionários aceitam novos cargos, de acordo com o índice New Hires Quality do Instituto Upjohn de Pesquisa de Emprego, em Michigan. Os dados – que medem os ganhos das pessoas que começam em novos empregos a cada mês – indicam que mulheres recém-contratadas ganhavam cerca de 96% do que os homens recebiam em julho.

Dados de Brad Hershbein, economista do Instituto Upjohn, apoia um artigo de pesquisa de Rakesh Kochhar, do Pew Research Center, divulgado no início do ano, segundo o qual o salário médio por hora para mulheres aumentou 45% entre 1980 e 2018, em comparação com 14% para homens.

Empregadores que buscam fortes habilidades sociais dão preferência às mulheres, segundo Kockhar, enquanto Hershbein atribuiu os ganhos salariais das mulheres em parte ao nível de escolaridade. Cerca de 23% dos homens contratados neste ano tinham diploma universitário, em comparação com mais de 29% das mulheres.

Visto de outra forma, os homens agora respondem por 51% da massa salarial total, em comparação com 55% há uma década.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.