O Grupo Credit Suisse afirmou que está planejando adotar um modelo de trabalho remoto que dê o máximo de flexibilidade aos funcionários.

O profissional poderá escolher, junto com o time e gestores, quais os dias que deseja ficar fora do escritório, dependendo da função que exerce.

“Enquanto nos preparamos para um mundo pós-pandêmico, nosso objetivo é nos tornarmos mais flexíveis e ágeis no que diz respeito a acordos de trabalho”, afirma Andre Helfenstein, CEO do Credit Suisse, em nota.

A mudança vai ser adotada na Suíça e, segundo a instituição, medidas semelhantes serão implementadas em outros locais do mundo de acordo com o avanço da pandemia.

O comunicado da instituição segue o que a concorrência está fazendo, como o UBS Group AG, Deutsche Bank AG e Citigroup Inc. No entanto, diferentemente dos outros, o Credit Suisse não informou quantos dias da semana os funcionários devem trabalhar fora dos escritórios.

Recrutamento

A flexibilidade no trabalho tem sido usada por alguns bancos como um diferencial na hora de atrair talentos. Outros, como o JPMorgan Chase e o Goldman Sachs preferem trazer os funcionários de volta aos escritórios.

No caso do Credit Suisse, a medida foi implementada depois do banco fazer um estudo de seis meses que mostrou o desempenho dos funcionários em diversos modelos de trabalho. Uma das descobertas foi que quem trabalhava de forma mais flexível era mais feliz e produtivo e, no futuro, queria passar dois terços do tempo em casa ou em outro local fora do escritório.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).