A Anheuser-Busch InBev está tomando uma série de medidas para diversificar a indústria cervejeira, incluindo uma bolsa de estudos que visa aumentar o número de trabalhadores negros em suas equipes.

Em parceria com o United Negro College Fund, a Anheuser-Busch, subsidiária norte-americana da AB InBev, concederá 25 bolsas anuais durante cinco anos para cursos de ciências, tecnologia, engenharia e matemática, disse a empresa em comunicado. A bolsa UNCF Budweiser Natalie Johnson recebeu o nome da primeira cervejeira negra da unidade da empresa em St. Louis.

As empresas estão intensificando seus esforços para lidar com injustiças raciais e econômicas após protestos por mortes recentes de negros americanos como George Floyd e Breonna Taylor. Nos Estados Unidos, a indústria cervejeira permanece esmagadoramente dominada por trabalhadores brancos, especialmente no segmento de cerveja artesanal que está impulsionando o crescimento.

Nove em cada dez cervejeiros nas mais de 8.000 cervejarias independentes do país são brancos, de acordo com pesquisa concluída no ano passado pela Associação de Cervejarias.

As bolsas da AB InBev são avaliadas em US$ 4.000 cada. Cinco bolsistas em estágio remunerado na divisão de cerveja e suprimentos da empresa nos Estados Unidos, a unidade em que Johnson trabalha, também receberão uma bolsa de US$ 6.000 para o último ano de sua graduação.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.